Vivo reposiciona marketing e prioriza qualidade


Em meio ao fogo cruzado entre a Portugal Telecom e a Telefónica pelo controle da Vivo, a operadora oficializou, hoje, em São Paulo, a nova campanha de marketing. “Deixaremos para trás a imagem de que a Vivo é a maior operadora. Queremos ser reconhecidos como a melhor prestadora de serviços móveis do país”, reafirmou o …

Em meio ao fogo cruzado entre a Portugal Telecom e a Telefónica pelo controle da Vivo, a operadora oficializou, hoje, em São Paulo, a nova campanha de marketing. “Deixaremos para trás a imagem de que a Vivo é a maior operadora. Queremos ser reconhecidos como a melhor prestadora de serviços móveis do país”, reafirmou o presidente da empresa, Roberto Lima. O executivo havia sinalizado para esse reposicionamento, no mês de fevereiro, durante o anúncio dos resultados da companhia.

A campanha desenvolvida pela agência África, do publicitário Nizan Guanaes, em que a Vivo assina “Vivo. Sinal de Qualidade”, já está no ar há duas semanas. “As próximas peças publicitárias deixarão de lado o tema da tecnologia para ressaltar a utilidade do serviço de telefonia: conectar pessoas com qualidade”, disse Lima. As diretrizes que dão o tom dessa nova fase da imagem da operadora, informou o executivo, são o foco no consumidor, nos serviços e nos produtos que a tecnologia possibilita, e nos benefícios de uma rede com larga cobertura.

Com relação a participação de mercado da Vivo, que vem caindo sucessivamente — só no ano passado, segundo dados na Anatel, a operadora perdeu 5% de market share –, Lima comentou que o mercado, como um todo, está desaquecido. "Além disso, a concorrência cumpriu bem o seu papel. Mas a Vivo continua com a maior participação nas regiões onde atua”, afirmou. Já sobre a queda de braço pelo controle da operadora entre a Portugal Telecom e a Telefónica, largamente noticiada hoje pela imprensa européia, Lima preferiu contemporizar: "A joint venture é sinérgica; senão, o conselho não teria autorizado investimentos de R$ 1,080 bilhão para construção da rede de GSM."

Anterior Receita da Eletropaulo Telecom aumenta 43%
Próximos Celulares nos presídios: Ministério da Justiça debate soluções.