Vivo implanta rede 4G em usina de bioenergia da UISA


Foto: Projetado pelo Freepik
Foto: Projetado pelo Freepik

O segmento corporativo da Telefônica Brasil, o Vivo Empresas, levará conectividade 4G e aplicações baseadas em Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) para mais de 88 mil hectares da Fazenda Guanabara, da UISA. A usina é uma das principais produtoras de bioenergia do país, localizada no estado de Mato Grosso.

A infraestrutura de conexão, além da rede 4G, inclui as redes Narrow Band IoT (NB-IoT) e Long Term Evolution for Machines (LTE-M), específicas para suportar todas as aplicações em IoT do projeto.

Enquanto a rede NB-IoT responde melhor por dispositivos estáticos – com aplicações de sensoriamento do clima como temperatura ambiente, humidade do solo e incidência solar, tipicamente utilizadas em estações meteorológicas -, a tecnologia LTE-M apresenta melhor desempenho em aplicações que demandam mais mobilidade, como telemetria de maquinários agrícolas.

PUBLICIDADE

A Vivo ainda será a responsável pela infraestrutura física que compõe o projeto, como a construção de torres, fornecimento de equipamentos eletrônicos para a prestação de serviço móvel e mais de 300 dispositivos baseados em IoT.

A estratégia da operadora é destacar a possível redução de custos com a adoção da tecnologia. “Todos os projetos são integrados em plataformas exclusivas de gestão, com foco no aumento da produtividade com menor custo operacional e otimização de recursos”, explica o head de IoT, Big Data e Inovação B2B da Vivo, Diego Aguiar.

O diretor financeiro e de Novos Negócios da UISA, José Fernando Mazuca, afirma que o objetivo da contratação é tornar a tomada de decisões mais ágil. “Na forma como estamos estruturados hoje, os dados demoram de 3 a 4 dias para serem processados, e sempre estamos olhando no retrovisor”, acrescenta. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Regulação Responsiva vai depender do comportamento dos regulados, diz Anatel
Próximos Na disputa por atenção, criadores de apps aumentam gasto com publicidade