Vivendi troca ações da Telefônica Brasil por papeis da holding


A Vivendi, antiga dona da GVT, assinou hoje, 29, acordo com o grupo espanhol Telefónica para trocar quase metade da participação que detém na Telefônica Brasil por ações na holding europeia.

Com o acordo, a Vivendi passa a deter 0,95% do grupo Telefónica, ou 46 milhões de ações. Já o grupo Telefónica recebe de volta 58,4 milhões de ações preferenciais da Telefônica Brasil, equivalente a 3,5% do capital social da subsidiária brasileira. A Vivendi permanece com 4% do capital social da Telefônica Brasil.

A operação já era prevista, e faz parte das exigências das autoridades brasileiras para que a fusão entre Telefônica e GVT fosse aprovada. Mesmo assim, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) deverá aprovar os termos da transação. A troca também amplia as especulações sobre interesse da Vivendi em sair do Brasil – inclusive apoiando a venda da TIM Brasil. Depois da venda da GVT, a Vivendi se tornou a maior acionista individual da Telecom Italia, controladora da TIM, e vem defendendo a venda do ativo brasileiro.

Segundo o vice-presidente de Finanças da Telefônica/Vivo, Alberto Horcajo, a expectativa do grupo é de o Cade aprovar rapidamente esta operação (até setembro ou outubro), porque ela atende à determinação do próprio órgão, que mandou a Vivendi diminuir para menos de 5% a sua participação acionária na empresa brasileira. Horcajo explicou aos jornalistas que a Vivendi tem três anos, desde a decisão do Cade, para vender os 4% de ações que ainda terá na empresa brasileira. Ele observou que esta troca de ações fez com que o grupo francês participe com menos de 1% no capital da Telefónica de Espanha.

Anterior Telefônica aumenta receita com GVT, mas lucro cai
Próximos Telecom Italia vai oferecer Netflix a assinantes