Vivendi vai controlar Capex da GVT em 2014


A Vivendi irá controlar o investimento em capital da GVT, que atua em banda larga fixa e TV por assinatura no Brasil, em 2014 em busca de um fluxo de caixa positivo, conforme explicou o CEO da francesa, Jean-François Dubos, em conferência com anaistas nesta terça-feira.

A Vivendi apresentou os resultados operacionais e financeiros para o ano e 2013. A GVT,  registrou receita de €1,70 bilhão de euros, estável em relação ao registrado no ano anterior. Pesou, em termos comparativos, a desvalorização da moeda brasileira, frisou a controladora francesa. Em moeda constante, a variação da receita ano a ano seria de 13,1%. A companhia comemorou o resultado diante de um ambiente de negócios muito competitivo e estagnação da economia brasileira. Em dezembro de 2013, a operadora prestava serviços em 150 cidades, 11 a mais do que em dezembro de 2012. 

O serviço de TV paga gerou receita de €174 milhões, cerca de 10% do total. O número de acessos cresceu 58,4% na comparação ano contra ano, alcançando 643 mil no final de 2013, 24.6% de penetração na base de banda larga da empresa. A companhia destacou o lançamento de serviço independente de satélite para seguir crescendo.

PUBLICIDADE

O Ebitda, lucros antes do pagamento de juros, impostos depreciação e amortização, para o período foi de €707 milhões, redução de 4,5% na comparação com 2012. A margem Ebitda ficou em 41,4%, “a mais alta para o setor de telecom brasileiro”, destacou a companhia francesa. 

Anterior Telefónica, LG, Samsung e Sony Mobile, juntas para estimular dispositivos "usáveis"
Próximos Marco Civil da Internet: Discussão e votação ficam para o dia 12 de março.