Virgílio Almeida deixa a Sepin até o final do ano


O professor de Ciência de Computação da UFMG, Virgílio Almeida, que assumiu a secretaria de Informática e Automação (Sepin) do MCTI em 2011, vai partir para outras paradas. Convidado a lecionar em Harvard (localizada em  Cambridge, Massachusetts, nos Estados Unidos), um das universidades mais conceituadas do mundo,  Almeida assume a cátedra de um ano em janeiro de 2016.

Em sua bagagem, deixa diferentes feitos para a indústria de TI ( tecnologia da informação). Entre eles, a criação, no Brasil, de centros de pesquisa e desenvolvimento (P&D) de grandes empresas transacionais do setor, como Microsoft, EMC, Intel, SAP, Huawey; fortalecimento de Centros de Tecnologia nacionais como o Cesar ou o Eldorado; o lançamento do programa Start Up Brasil, que teve quatro editais e o estabelecimento de uma política mais firme para a microeletrônica, inclusive com a criação da estatal Ceitec, no sul do país. Também deixa como legado, a Certics (certificação para o selo nacional), que poderá ser usado pelas empresas que desenvolvem tecnologia aqui como instrumento de preferência para a compra do governo federal.

Em entrevista ao portal Tele.Síntese (cuja íntegra será publicada no próximo mês), Almeida tem uma inquietação: acha que poderia ter traçado uma política mais robusta para o uso da nuvem pelo governo federal.

Anterior Se Anatel não mudar edital, operadoras de MMDS podem ficar fora do leilão
Próximos Telefônica Vivo vai demitir 800 em SP