Verizon vende subsidiárias a empresas de Slim


A Verizon anunciou hoje, 3, a venda de três operações no Caribe e América Latina por US$ 3,7 bilhões. O negócio é parte de ampla estratégia das operadoras dos EUA de desmobilizar investimentos externos e alguns ativos domésticos para reforçar seus serviços sem fio e banda larga. A Verizon venderá o controle total que tem …

A Verizon anunciou hoje, 3, a venda de três operações no Caribe e América Latina por US$ 3,7 bilhões. O negócio é parte de ampla estratégia das operadoras dos EUA de desmobilizar investimentos externos e alguns ativos domésticos para reforçar seus serviços sem fio e banda larga.

A Verizon venderá o controle total que tem na Verizon Dominica, a operadora dominante da República Dominicana, e os 52% que detém na Puerto Rico Telephone à América Móvil. E os 28,5% do capital que tem da Nacional Telefónos de Venezuela à Telmex (joint venture entre América Móvil e Teléfonos de México, ambas empresas do empresário Carlos Slim).

A operadora americana informou que as empresas que está vendendo são rentáveis, mas não essenciais ao seu foco. E que poderá usar o dinheiro dessas e de outras vendas para ajudá-la a adquirir os 45% da Verizon Wireless que estão com a britânica Vodafone – uma compra que poderia custar mais de US$ 40 bilhões, segundo analistas. Contudo, até agora, a Vodafone não se mostrou disposta a se desfazer de uma associação tão lucrativa.

E, a exemplo da Telefónica, ainda neste ano, a Verizon também planeja vender seu negócio de listas telefônicas, ou separá-lo em outra empresa, o que poderia lhe render algo como US$ 15 bilhões.

Para a América Móvil e a Telmex, as aquisições representam um ganho de 15 milhões de clientes dos serviços móvel, fixo e banda larga. A América Móvil, que foi juridicamente separada da Telmex em 2000, tem cerca de 61 milhões de assinantes em onze países. Em 2005, comprou empresas no Peru, Chile e Paraguai.
(Redação com agências internacionais)

Anterior A disputa pela Colombia Móvil
Próximos TVs universitárias defendem parceria com emissoras comerciais