Venko quer reestrear no mercado paulista com celulares de médio porte


A Venko, fabricante de celulares, quer reestrear em São Paulo, comercializando três modelos de aparelhos até o final do ano. Fundada em 2004, a empresa possui quase que a totalidade de suas vendas concentrada nas regiões Norte e Nordeste, e agora mira o mercado paulista, “que responde por 40% do mercado nacional de celulares”, explica …

A Venko, fabricante de celulares, quer reestrear em São Paulo, comercializando três modelos de aparelhos até o final do ano. Fundada em 2004, a empresa possui quase que a totalidade de suas vendas concentrada nas regiões Norte e Nordeste, e agora mira o mercado paulista, “que responde por 40% do mercado nacional de celulares”, explica David Ostrowiak, gestor da Venko. Em 2004 a fabricante já havia feito uma incursão de oito meses em São Paulo, quando vendeu 40 mil aparelhos de baixo custo, em parceria com a rede de supermercados Carrefour e com subsídios da TIM. “Saímos do mercado naquela época por diversos problemas, como a saída de um dos investidores, e agora queremos reposicionar a marca”, diz Ostrowiak. Para isso está lançando celulares de médio porte, que incluem câmera, tocador de mp3 ou mp4, e cartão de memória. 

A empresa iniciará na próxima semana a venda de dois modelos nas redes de varejo Extra e Carrefour. A expectativa é comercializar até dezembro deste ano, 20 mil unidades do modelo Amigo, preço sugerido de R$ 449, e 10 mil unidades do modelo Estilo, que deverá custar cerca de R$ 599. A comercialização será majoritariamente feita em pontos de venda e com promotores, “estratégia que deu certo em Belém, no Pará, onde somos líderes de mercado”, destaca Ostrowiak. Ele afirma que apesar de respeitar os grandes fabricantes líderes de mercado, quer “explorar seus defeitos”, como a demora no conserto e reposição de aparelhos que apresentam problemas. “Temos o melhor pós-venda do mercado, e repomos aparelhos com defeito em no máximo três dias, compromisso expresso no manual de todos os aparelhos”, ressalta o executivo.

Para o ano que vem a Venko quer iniciar a distribuição de aparelhos no Centro-Oeste e nos estados do Paraná, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Santa Catarina. Segundo estimativas próprias, a empresa deve fechar 2007 com faturamento de US$ 40 milhões e 400 mil unidades produzidas. A plataforma utilizada nos modelos comercializados em São Paulo será NXP e o software do sistema operacional é da Venko, cujos aparelhos possuem componentes 100% importados. Segundo Ostrowiak o objetivo da empresa para o próximo ano não e conquistar market share, “mesmo porque somos muito pequenos perto dos tubarões, dos grandes fabricantes”, mas sim posicionar a marca e entrar nos mercados mais rentáveis, de celulares com maior valor agregado. “Até agora não tínhamos entrado no jogo, daqui para frente queremos crescer”, conclui. 

Anterior Costa propõe abertura de capital dos Correios
Próximos Brasil e China concluem testes para lançamento de satélite