Venda mundial de smartphones cai ao menor nível em quase cinco anos


As vendas mundiais de smartphones caíram 6,8% no mundo no primeiro trimestre do ano. Foram 313,9 milhões de unidades enviadas pelas fabricantes ao atacado e varejo, o menor nível para um trimestre em quase cinco anos, conforme dados da consultoria Canalys. A Samsung se manteve com a liderança do mercado, mas suas vendas caíram 10%, somando 71,5 milhões de unidades.

A consultoria aponta para o crescimento impressionante da Huawei, que vem conseguido roubar o espaço das rivais enquanto o mercado como um todo se retrai. A fabricante chinesa cresceu 50,2% na comparação ano a ano e vendeu 59,1 milhões de unidades, e já se cogita que em 2020 seja a maior fabricante de smartphones do mundo. “Para superar a Samsung, a Huawei precisa vender mais 10 milhões de unidade por trimestre”, diz o analista Mo Jia.

Para frear a rival, a Samsung aposta na linha Galaxy A e na linha Galaxy M, de baixo custo (e que chegou ao Brasil com venda apenas no varejo online). Os novos produtos, diz a consultoria, devem ajudar a sustentar a posição da fabricante sul-coreana.

Enquanto isso, a Apple ficou definitiva para trás, na terceira posição do mercado global. A empresa norte-americana vendeu 4,2 milhões de iPhones, 23,2% menos que no mesmo período do ano anterior.

Outros fabricantes chineses também ganharam participação em detrimento de Samsung e Apple. Xiaomi, que tinha 8,4% de share no primeiro trimestre de 2018, passou a ter 8,9% agora. E a Oppo, que tinha 7,6%, agora detém 8,7%, como se vê no gráfico abaixo.

A consultoria diz que a o trimestre foi difícil para o iPhone. A Apple encolheu 34% das vendas na China, maior mercado do mundo, para Huawei, Xiaomi, Oppo e Vivo. Também nos EUA perdeu espaço, mesmo com promoções que estimulavam a troca de iPhones antigos por novos. Mas alega que houve reaquecimento das vendas do aparelho no final do trimestre, o que deve ser carregado para o segundo trimestre.

Anterior Stefanini compra TecCloud e passa a vender serviços em Datacenter
Próximos Ouvidoria da Anatel quer contribuições para proposta ao regulamento de fiscalização