Venda de celulares bate a casa do bilhão de unidades em 2006


No ano passado, pela primeira vez, as vendas de terminais celulares bateram a casa do bilhão de unidades, segundo estimativas da Strategy Analytics e da IDC. No último trimestre, foram comercializados 300 milhões de aparelhos, 22% a mais do que no mesmo período de 2005. A líder Nokia, também pela primeira vez, vendeu 100 milhões …

No ano passado, pela primeira vez, as vendas de terminais celulares bateram a casa do bilhão de unidades, segundo estimativas da Strategy Analytics e da IDC. No último trimestre, foram comercializados 300 milhões de aparelhos, 22% a mais do que no mesmo período de 2005.

A líder Nokia, também pela primeira vez, vendeu 100 milhões de aparelhos em um único trimestre (4T06). E tanto a fabricante finlandesa como a Motorola aumentaram suas participações de mercado no ano, às custas da Samsung e da LG. Quanto à Sony Ericsson, avançou, ocupando a terceira posição que era da Samsung.

Em relação a 2005, no ano passado, a expansão das vendas de handsets aumentou 24,7%. Face a esses resultados, a Strategy Analytics não acredita que o ritmo se mantenha em 2007 e, para este ano, estima um avanço nas vendas de 12%, o que significará vendas acima de 1,1 bilhão.

Divisão do mercado

De acordo com as duas empresas de pesquisa, a Nokia manteve a liderança de mercado, com 35,2% no 4T06, e 34,1% no ano. A Motorola ganhou quase 4 pontos de market share, subindo para 21,9%, em comparação com os 18,2% de 2005. Esse avanço, como já comentado, se deu às custas de acentuados declínios nos preços médios de venda e nos lucros.

A participação de mercado da Sony Ericsson aumentou de 7,7% para 8,7%, em volume; e, em faturamento, pela primeira vez, superou a divisão de telefones móveis da Samsung no quarto trimestre. O market share dessa fabricante coreana caiu de 11,9% para 10,7%, em volume, e sua taxa de crescimento de 18% foi menor do que a das concorrentes. Em volume, a participação da LG diminuiu de 6,4% para 5,7%. (Da Redação)

Anterior Em quatro anos, mais de 300 milhões de celulares de baixo custo.
Próximos Nokia: lucros crescem 19%.