Velocidade média da banda larga fixa no Brasil foi de 24,9 Mbps no 3º tri


País desceu degraus em ranking mundial de velocidade no acesso fixo, mas subiu no de acessos móveis feitos pela Ookla, empresa responsável pelo SpeedTest. Claro é a operadora com a banda larga mais rápida.

A velocidade média da banda larga fixa no país não para de aumentar, conforme relatório da empresa Ookla, responsável pelo site de medições SpeedTest. De acordo com os números da consultoria coletados entre julho e setembro, a velocidade média do acesso no Brasil foi de 24,9 Mbps. A cifra é 27% superior à apurada apenas seis meses antes, quando se tinha velocidades de 19,6 Mbps.

Os dados condizem com o avanço de acessos mais rápidos por parte das operadoras registrados pela Anatel. E seguem a tendência de aumento das ofertas de pacotes acima de 100 Mbps, graças à implantação de novas tecnologias, como o FTTH ou expansão de redes a mercados antes pouco servidos.

Queda no ranking mundial

Embora tenha havido avanço, o Brasil evoluiu menos que outros países, como indica o relatório da Ookla. Apenas em setembro, perdeu quatro posições no ranking mundial dos 130 países com a internet mais rápida. Ficamos no 62º lugar. Atrás de Chile, Panamá, Uruguai e Paraguai na América Latina.

Também ficamos longe da velocidade dos países que figuravam no topo desse ranking em setembro. Singapura, primeiro colocado, tinha banda larga média de 184 Mbps. Os Estados Unidos ficaram em 7º, com velocidade de 101 Mbps.

A média da velocidade global no acesso fixo à internet foi de 49,26 Mbps em setembro, quase o dobro da média de velocidade brasileira. No upload, a situação foi semelhante. Nossa velocidade média era de 11,87 Mbps, ante média mundial de 24,2 Mbps.

Operadoras

A Ookla também avaliou as empresas mais rápidas no país. A Claro (NET) ficou no topo do ranking brasileiro. Os clientes da operadora apresentaram velocidade média de 37,4 Mbps na banda larga fixa (NET Virtua) no trimestre encerrado em setembro. À frente de Vivo e TIM.

A Claro também aparece com os acessos móveis mais rápidos. A operadora obteve média de velocidade de download de 31,7 Mbps no terceiro trimestre, índice 58% superior à média do mercado, que foi de 20,1 Mbps. Já nas medições de upload, a Claro obteve velocidade de 10,51 Mbps, resultado 29% superior à média do mercado, que foi de 8,12 Mbps.

A rede móvel da Claro alcançou a liderança na média de velocidade de download em 25 das 27 unidades federativas. E, em relação à concorrência, a operadora tem a média de velocidade de download 55% superior à segunda colocada (20,48 Mbps) e 107% superior à terceira (15,30 Mbps). Já em upload, a Claro é 28% mais veloz que a segunda da lista e 38% superior à terceira colocada.

“Estes resultados refletem o investimento significativo e consistente que está sendo feito em nossa infraestrutura de rede. Cerca de 80% do projeto de modernização da rede móvel da Claro será concluída ainda este ano, e os 20% restantes serão modernizados em 2019. Com isso, estamos implantando o que há de mais moderno disponível e expandindo nossa cobertura e qualidade de sinal”, avalia Paulo César Teixeira, CEO da Claro.

Banda larga móvel

Na banda larga móvel, o retrato dos acessos brasileiros é mais positivo. O país galgou quatro degraus no ranking de 130 países, ficando em 67º lugar em setembro. A velocidade média da banda larga móvel foi de 20,25 Mbps apenas em setembro, e o upload de 8,14 Mbps. Ainda abaixo da média mundial de 23,64 Mbps e 9,34 Mbps registrada pela Ookla.

Anterior MCTIC estende uso do saldo da digitalização para novos projetos
Próximos Votação do PLC 79 fica para a próxima semana