Velocidade da LTE no Brasil supera a dos Estados Unidos


opensignal-lte-3q16Em ao menos uma métrica, a da velocidade média, o Brasil pode se considerar superior à conectividade móvel vista nos Estados Unidos. Estudo feito pela OpenSignal revela que aqui as operadoras entregaram conexões 4G de 19,69 Mbps no terceiro trimestre do ano, em média. Já os norte-americanos tinham velocidade de 13,95 Mbps, ficando até mesmo abaixo da média mundial, de 17,4 Mbps.

O estudo destaca, porém, que velocidade está longe de significar disponibilidade. Nos Estados Unidos o cidadão norte-americano está ao alcance de uma rede 4G em 81,3% do tempo em que passa conectado. Aqui, em 53,86% do tempo. Nesta marca, o Brasil supera França (49,44%) e Rússia (49,23%).

A empresa ressalta, no entanto, que a quantidade de acessos também impacta a entrega da velocidade média. E que países com implantação mais recente do 4G podem apresentar resultados melhores que outros, onde a infraestrutura começou a ser instalada há mais tempo, porque no início a construção tem por foco atender centros urbanos.

Ambos os país, no entanto, têm muito o que melhorar a fim de alcançar o topo do ranking, pertencente aos asiáticos. A Coreia do Sul tem a maior disponibilidade, com o LTE acessível em 95,71% do tempo, seguido de Japão (92,3%). Em velocidade, o título de campeão fica com Singapura (45,86 Mbps), seguido de perto pela Coreia do Sul (45,77 Mbps).

Mesmo regionalmente, a comparação entre Brasil e EUA com outros países mostra que há trabalho a ser feito pelas operadoras. O México, por exemplo, entrega um LTE mais rápido que ambos (21,73 Mbps). Canadá, Equador, Colômbia, Peru e Chile, também. Em termos de disponibilidade, o Brasil fica atrás de todos, inclusive da Argentina, país das Américas lanterna em velocidade (12,19 Mbps).

O mesmo estudo mostra que o WiFi entrega, em média, velocidades mais baixas que o LTE. A conectividade sem fio a partir de um acesso fixo tem velocidade de 10,8 Mbps no mundo, enquanto o LTE, de 17,4 Mbps. A média do 3G mundial é de velocidade de 3,3 Mbps, e do 2G, de 100 Kbps.

O estudo é feito com base em dados coletados pelo aplicativo da OpenSignal em smartphones conectados à internet, em todo o mundo. Para o terceiro trimestre, a empresa coletou informações de 500 mil celulares, entre 1 de julho e 30 de setembro, em 78 países

Anterior Oi compra prestadoras de serviços de rede e reduz custos
Próximos Anatel abre consulta sobre franquia com fórum de especialistas