Veículos de comunicação são recomendados a não fazerem divulgação da Telexfree em Rondônia


Os veículos de comunicação de Rondônia receberam uma recomendação do Ministério Público Federal (MPF/RO) para que não divulguem os serviços da Telexfree, exceto se a divulgação for de notícias que informem e esclareçam a população sobre as restrições de atividades da empresa por força de decisão judicial.

A recomendação do MPF/RO baseia-se nos fortes indícios de prática de crime contra a economia popular, por meio de formação de pirâmide financeira. Alguns veículos de comunicação rondonienses já haviam manifestado ao MPF/RO preocupação com o alarmante nível de endividamento da população local em decorrência da adesão ao Telexfree.

O MPF/RO lembra que a decisão liminar do Tribunal de Justiça do Acre que proibiu  a Telexfree de fazer novas adesões, seja na condição de ‘patner’ ou de ‘divulgador’. A empresa está proibida de receber os fundos de caução retornáveis e custos de reserva de posição, de vender kits de contas VoIP 99 Telexfree (ADCCentral ou ADCentral Family). A multa em caso de descumprimento é de R$ 100 mil a cada novo cadastro ou recadastramento. Além disto, notícias veiculadas na imprensa informam que a empresa estaria tentando dilapidar seu patrimônio em mais de R$ 100 milhões por temer futuras indenizações.

Com base nestes argumentos, o MPF/RO expediu a recomendação para que não se divulgue os serviços da Telexfree, com a finalidade de impedir que pessoas ingressem na empresa, pois suas atividades ainda estão sendo questionadas juridicamente. Os veículos de comunicação de Rondônia têm dez dias para responder ao MPF/RO se acatarão a recomendação.(Da redação, com assessoria de imprensa)

Anterior Anatel descarta, por enquanto, reversão da compra da Brasil Telecom pela Oi, mas quer mais explicações.
Próximos Mercosul fará reunião para debater falta de segurança na internet