“Vamos desenvolver a banda larga e a TV digital”, diz presidente da Anatel


E segundo o conselheiro, o prazo de 12 meses para a oferta da banda larga após o desligamento da TV analógica fica mantido, e este prazo foi considerado no preço. “O plano de negócio está previsto nas condições”, afirmou.

João Rezende, o presidente da Anatel, afirmou que  a faixa de 2,5 GHz é voltada para áreas densamente povoadas e a de 700 MHz para cobertura de territórios. Rezende lembrou que a agência fez uma série de testes de interferência entre as emissoras de TV e a banda larga móvel e explicou que os lotes 7 aos lotes 14 estão presentes no edital, caso alguma das frequências nacionais não sejam vendidas. O preço mínimo do 700 MHz é de R$ 7.711.859 e outros  de R$ 3,615 bilhões serão destinados para o switch off da TV digital. A primeira parcela de 30% será depositada em 30 dias após o leilão. A última parcela vence em 2018.

Segundo o presidente da Anatel, entre os ganhos  previstos para  o usuário estão a  melhor qualidade  do sinal de TV digital; apoio no processo de migração para a TV digital; transformação do aparelho de TV digital em plataforma multimídia; e otimização de infraestrutura. Para os radiodifusores haverá o ressarcimento integral para o remanejamento de faixa; medidas para massificação de TV digital junto à população que receberá o  equipamento. “Iremos avançar na  banda larga de dados e na massificação e digitalização da TV analógica”, afirma Rezende.

Em debate com o TCU, foi definido  o valor da faixa de 1,8 GHz ou qualquer outra faixa  que for usada para cumprir as metas do 2,5 GHz . O  desembolso total das operadoras  que atuam no Brasil será de R$ 8,26 bilhões. As empresas que quiserem usar outras faixas terão que levar a telefonia móvel  para mais 4,5 localidades com mais de mil habitantes.

Rezende salientou que há vantagens para o novo entrante.  E segundo o conselheiro, o prazo de 12 meses para a oferta da banda larga após o desligamento da TV analógica fica mantido, e este prazo foi considerado no preço. ” O plano de negócio está previsto nas condições”, afirmou.

Segundo o conselheiro Jarbas Valente, a Anatel encontrou os valores de ressarcimento dos  1,1 mil radiodifusores, o valor do set top box, dos filtros e das antenas. Segundo Valente, serão 14 milhões de conversores a serem distribuídos.  Segundo Rezende, a empresa que vai distribuir os recursos para a radiodifusão, a GIRED, não  será uma entidade societária  e que não terá interferência na empresa. “A falta de recursos será arcada pelos compradores da faixa, mas entendemos que o dinheiro é  suficiente.  A LTE e  radiodifusão podem conviver juntas. Vamos desenvolver as duas indústrias”, concluiu Rezende.

Anterior Abinee prevê faturamento negativo em 4% do setor em 2014
Próximos Para a Abinee, leilão de 700 MHz é bem-vindo, mas alto custo reduzirá investimentos em rede