SMS resiste, apesar do avanço dos OTTs, diz Acision.


Apesar da popularização do uso de serviços de mensagens instantâneas (IM) e OTTs pelos celulares, o SMS continua crescendo no Brasil, embora de forma mais discreta. Comportamento semelhante é verificado no México e Argentina, mas é nesse último país onde a receita com o serviço de valor agregado (SVA) já representa quase 50% de aumento na arrecadação pelas operadoras. É o que informa a pesquisa Mavam, divulgada nesta quarta-feira (23), pela Acision na 15ª Futurecom.

Segundo a diretora de novos negócios da empresa, Silviane Rodrigues, o aumento das receitas de SVA no Brasil chegou a 25,5% no segundo trimestre de 2012 para R$ 3,5 bilhões e no México o aumento ficou em 13% em igual período. “Esses resultados indicam que ainda há espaço para crescimento do serviço no país”, ressaltou.

O maior crescimento das receitas de SVA no país veio da banda larga móvel, que respondeu por 58%. Para Acision, o desempenho já é resultado da política de popularização de smartphones. A receita com SMS e MMS (mensagens multimídias) subiu 10,9% no segundo trimestres, equivalente a R$ 1,2 bilhão. Na Argentina a internet móvel representou com 34% no aumento das receitas de SVA e 32% no México.

Convivência

A pesquisa da Acision mostra que 60% dos brasileiros ouvidos ainda dizem precisar do SMS, enquanto 77% afirmam utilizar mais de um serviço de mensagem. O serviço preferido aqui é o serviço do Facebook, mas é o WhatsApp que tem o uso mais intensivo. O Skype Mensager é o terceiro mais utilizado. Na Argentina e no México o WhatsApp lidera.

Segundo Silviane, as promoções de uso ilimitado de SMS pelas operadoras brasileiras têm garantido o crescimento do serviço no Brasil. E são os clientes com smartphones que fazem maior uso do serviço. “Ou seja, o SMS e outros serviços de mensagem instantânea vão continuar coexistindo”, disse.

Anterior Firefox OS já representa 12% das vendas da Telefónica Venezuela
Próximos GVT substitui tecnologias para reduzir custos com rede