UOL tem queda de 15% no lucro líquido


O UOL teve uma redução de 15% em seu lucro líquido no terceiro trimestre de 2008 em comparação com o mesmo período do ano passado, totalizando R$ 27 milhões. Já o lucro líquido acumulado nos primeiros nove meses do ano ficou em R$ 75,6 milhões, representando uma queda de 18% sobre o registrado no período …

O UOL teve uma redução de 15% em seu lucro líquido no terceiro trimestre de 2008 em comparação com o mesmo período do ano passado, totalizando R$ 27 milhões. Já o lucro líquido acumulado nos primeiros nove meses do ano ficou em R$ 75,6 milhões, representando uma queda de 18% sobre o registrado no período em 2007. A justificativa para a queda, segundo a companhia, são o aumento das despesas operacionais e o lançamento de novos produtos, cujas receitas ainda não alcançaram seu potencial total.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) no 3T08 atingiu R$ 29,1 milhões, o que significa uma redução de 22% sobre o 3T07. A margem Ebitda, que indica a rentabilidade da empresa, atingiu 20% no 3T08, um decréscimo de 8 pontos percentuais sobre o mesmo período de 2007.

Já a receita de publicidade e outras ficou em R$ 73,3 milhões no 3T08, crescimento de 58% em relação ao mesmo período de 2007. Nos primeiros nove meses do ano, o montante ficou em R$ 195,5 milhões – aumento de 47% na comparação com o período do ano passado.

Em conferência com analistas e jornalistas, realizada hoje de manhã, o diretor-geral do UOL, Marcelo Epstejn, mostrou-se otimista quanto ao mercado publicitário online no próximo ano, pela característica do meio de permitir uma medição de resultados mais eficiente, apesar de prever que haverá uma “refreada” nos investimentos em publicidade das empresas, de modo geral, no primeiro trimestre de 2009. “A expectativa é que o impacto não seja tão grande (na mídia online) quanto na publicidade tradicional”, disse ele.

A receita líquida do UOL foi de R$ 143,8 milhões no 3T08 e de R$ 423 milhões no acumulado dos nove primeiros meses do ano, representando um crescimento de 9% e 12%, respectivamente, sobre os mesmos períodos do ano passado, segundo a empresa, impulsionado pelo crescimento da receita de publicidade e outras.

Já a receita bruta de serviços ficou em R$ 203 milhões no 3T08 (13% maior que no 3T07) e em R$ 581,5 milhões nos primeiros nove meses do ano – crescimento de 11% sobre o mesmo período do ano passado.

Assinaturas

Apesar do crescimento da base de assinantes pagantes, que ficou em cerca de 1,78 milhão em setembro de 2008, a receita de assinaturas teve uma queda de 3% no 3T08 na comparação com o 3T07, registrada em R$ 129,7 milhões, e de 2% nos nove primeiros meses do ano, totalizando R$ 386 milhões. O resultado deve-se a um tíquete médio menor, resultante da maior competição no segmento de acesso à internet.  

De acordo com o diretor financeiro e de relações com investidores, Miguel Longo Júnior, 63% da base de assinantes (1,13 milhão) possui planos de banda larga. O número representa um aumento de 16% em relação a setembro de 2007. (Da redação)

 

Anterior Contax cria subsidiária para prestar serviços de gestão
Próximos Novo PGO já tem debate programado na Câmara