Uol: 3G deverá auxiliar provedores de conteúdo em 2008


O fornecimento de acesso banda larga à internet por meio da terceira geração da telefonia celular (3G) deverá auxiliar o Universo Online (Uol) em 2008, prevê Luis Frias, presidente do Uol. Em teleconferência de divulgação de resultados realizada hoje, ele afirmou que a entrada das operadoras de celular “deve trazer mais movimentação para esse mercado, …

O fornecimento de acesso banda larga à internet por meio da terceira geração da telefonia celular (3G) deverá auxiliar o Universo Online (Uol) em 2008, prevê Luis Frias, presidente do Uol. Em teleconferência de divulgação de resultados realizada hoje, ele afirmou que a entrada das operadoras de celular “deve trazer mais movimentação para esse mercado, portanto o conteúdo do UOL deverá ser mais procurado.” Ele considera também que a 3G será a grande novidade deste ano, e “deve tirar pressão sobre a margem dos provedores de acesso, pois haverá mais empresas fornecendo a conexão”, principalmente a partir do segundo semestre deste ano, quando as ofertas comerciais para 3G estarão mais presentes.

A queda na base de assinantes de dial up e a estagnação no crescimento da base de assinantes de banda larga foram ocasionadas, segundo Marcelo Epstein, diretor geral do portal, “a um primeiro e segundo trimestre muito fortes em crescimento, sendo que o quarto trimestre foi muito impactado devido aos feriados e festas de final de ano. Houve também um pequeno efeito da guerra de preços no final do ano, na qual não entramos, prezando pela qualidade.”

No quarto trimestre de 2007, o Uol obteve lucro líquido de R$ 17,5 milhões, queda de 38% em relação a igual período do ano anterior. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) do trimestre somou R$ 34,4 milhões, decréscimo de 15% sobre o último trimestre de 2006. No ano, o lucro líquido totalizou R$ 109,4 milhões, o que representa avanço de 18% sobre 2006. O Ebitda anualizado totalizou R$ 153,3 em 2007, representando um aumento de 12% sobre o ano anterior. Já a receita de publicidade e outras somou R$ 191,7 milhões em 2007, crescimento de 28% em relação a 2006, devido “principalmente ao lançamento de novos produtos em 2006 e ao longo do ano passado”, conclui Epstein.

Anterior Proposta de reforma tributária bem-vinda, mas tímida, diz Abinee.
Próximos Fistel receberá R$ 1,6 bi das celulares