Unotel quer chegar a 900 provedores regionais parceiros até 2017


A Unotel, que surgiu como empresa a partir de uma associação de provedores regionais de internet, começa a ganhar musculatura e sonhar alto. Quer chegar, em três anos, a 900 provedores regionais parceiros, cobrindo 90% do território brasileiro, com 3,6 milhões de assinantes, poder de compra de R$ 1,8 bilhão anual e faturamento de R$ 4 bilhões/ano. Para isso, vai ter que multiplicar por cinco seu quadro atual de provedores regionais acionistas.

Criada em 2006 para comprar link no atacado para seus acionistas, a Unotel abandonou esse segmento de mercado ao vender, no ano passado, a sua carteira para a Minas Mais. Este ano, lançou seu serviço de TV por assinatura, abrigado na IonTV, uma de suas subsidiárias. O serviço, desenhado sob medida para os provedores regionais, com set top box conectado e aplicativos IP de navegação, foi lançado em outubro e já está sendo comercializado por 142 provedores regionais parceiros para seus clientes. 15 deles já estão em operação.

Para ter acesso ao serviço, o provedor, que não precisa necessariamente ser acionista da Unotel — paga a IonTV de R$ 1,50 a R$ 3,50 mensais por set top box ativo De seu lado, a empresa responde por toda a operação e toda a parte legal — é ela quem tem a licença  do Seac.

Novos negócios

Além da IonTV, a Unotel controla a Unolink, focada em venda de links para o mercado corporativo, e a Unocena, um call center que presta serviços aos clientes dos provedores regionais parceiros. Seu próximo empreendimento será uma central de compras. “Queremos montar um clube de compras para negociarmos coletivamente e ganharmos escala”, relata Orlando Ferreira Neto, diretor presidente da Unotel.

E há mais iniciativas em gestação. O próximo passo da Unotel será pedir uma licença de STFC. “Vamos proceder da mesma forma que no Seac. Cuidamos de todo o relacionamento com a Anatel, nos responsabilizamos pela parte legal para os nossos parceiros”, diz Ferreira. E o passo seguinte será criar uma MVNO para operar a telefonia móvel. “Com isso, nossos parceiros vão poder oferecer todos os serviços a seus clientes – internet, TV, voz fixa e voz e dados móveis”, informa.

Anterior A disputa entre a mídia e o Google
Próximos Partidos de oposição questionam o código fonte das eleições