A Unidade Embrapii CPqD ampliou o escopo de seu trabalho de fomento à pesquisa e inovação. A unidade passou, nesta semana, a aceitar projetos de inovação em hardware e software em redes sem fio. Atualmente, a unidade desenvolve cinco projetos, todos em torno do ecossistema de comunicações ópticas.

“Estamos ampliando nossa atuação para tecnologias de redes de acesso sem fio seguras, como redes de sensores, LTE-Advanced, Low Power Wi-Fi, Bluetooth LE, RFID, Zigbee, entre outras, em diversas faixas de frequência”, afirma Fabrício Lira Figueiredo, coordenador técnico da Unidade Embrapii CPqD. Essas redes sem fio poderão ser integradas às redes de transmissão e transporte ópticos que já vem sendo desenvolvidas há cerca de um ano na Unidade.

Além da infraestrutura de rede de acesso, a Unidade Embrapii CPqD também está apta a desenvolver projetos de dispositivos e terminais (tecnologias de sensores, medidores inteligentes seguros, carros conectados, etc.) e de aplicações para comunicações sem fio – por exemplo, para cidades inteligentes e Internet das Coisas (IoT), entre outras, envolvendo segurança da informação e comunicação (criptografia, autenticação e desenvolvimento seguro).

A Embrapii (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial) é uma organização financiada pelo MCTI e pelo MEC, com o objetivo de fortalecer a inovação no país. Recebe projetos de empresas em unidades regionais, e participa do financiamento da pesquisa com um terço do capital. O restante é dividido entre a unidade e a empresa. O CPqD foi credenciado como Unidade Embrapii, em outubro do ano passado. Entre os projetos que vem sendo tocados pela unidade há parcerias com AsGa, Padtec e Prysmian.