Unicamp e Neger Telecom pedem patente de controlador de drone


drone Foto by DFSB DEApós mais de três anos de projetos conjuntos, a Faculdade de Engenharia Elétrica da Unicamp e a Neger Telecom desenvolveram um dispositivo capaz de assumir o controle de um drone invasor, com a aplicação inédita da técnica de modulação spoofing. Em novembro, a Inova, a empresa de Inovação da Unicamp, deu entrada no pedido de patente do desenvolvimento junto ao INPI.

A Neger Telecom, empresa especializada no desenvolvimento de soluções com o uso de TICs, entre elas sistemas de bloqueio de sinais de radiofrequência, buscou a Faculdade de Engenharia Elétrica da Unicamp porque precisava de parceria para aperfeiçoar uma antena. Esse projeto inicial foi se desdobrando em vários outros, entre eles o sistema de bloqueio de drones, já implantando em 30 presídios e, agora, o controlador de drones.

A parceria se revelou tão eficiente que deu origem ao Laboratório de Inteligência Espectral, no qual a Neger Telecom está investindo R$ 1 milhão em cinco anos, envolvendo bolsas de estudo e reforma do espaço. Conduzido pelo professor Leandro Manera, o Laboratório tem sob seu guarda-chuva os projetos que se referem à modulação de sinais e também ao seu monitoramento.

Ineditismo

Segundo Eduardo Neger, sócio-presidente da Neger Telecom, o que o dispositivo controlador de drones faz, ao detectar o sinal de um drone invadindo o espaço que está sendo protegido, é identificar o tipo de tecnologia utilizada, sua modulação e controle e quebrar a codificação. Em seguida, o controlador, normalmente instalado em uma antena na área protegida, assume o controle do drone e o leva para qualquer ponto, retirando-o do perímetro de segurança.

Objeto da dissertação de mestrado de Maurício Donatti, que já tinha feito um curso de especialização na França em drones, o que levou ao pedido de patente foi a aplicação inédita da técnica de modulação spoofing. Ela já tinha sido usada por um grupo de uma universidade texana mas para sinal de GPS e não de drone, relata Neger.

Se o projeto do bloqueador de drones, no mercado desde o ano passado, foi uma solicitação da Neger Telecom para atender aos diretores de presídios, o desenvolvimento do controlador de drones foi uma proposta do grupo de pesquisa da Faculdade de Engenharia Elétrica. “O bloqueador continua sendo a solução mais sólida e confiável para áreas de segurança, enquanto o controlador é mais adequado para situações onde existem multidões e risco de acidente com queda do drone”, diz Eduardo Neger, que espera que o novo desenvolvimento esteja comercial dentro de um ano.

Anterior Possível desembarque dos chineses preocupa teles que operam no país
Próximos Prysmian compra a General Cable