União Europeia aprova compra da Broadcom pela Avago


A União Europeia deu sinal verde para que as fabricantes de chips Avago e Broadcom se unam. Pela avaliação da Comissão para a Competição do bloco, a união não vai ferir a concorrência no setor de semicondutores. O negócio chegou a ser elogiado pela comissária Margrethe Vestager, que vem impedindo a consolidação em outro setor na Europa, o das telecomunicações. Segundo ela, foi possível aprovar rapidamente a transação pois “preserva a alta competitividade do setor”.

A Comissão Europeia concluiu que os portfólios das empresas são complementares. A única preocupação levantada foi a respeito do licenciamento de algumas tecnologias a empresas concorrentes da Broadcom. A Avago se antecipou à Comissão, porém, e assinou acordos de compartilhamento de propriedade intelectual com estas empresas, o que foi aceito como medida suficiente pela autoridade.

A Avago vai pagar US$ 37 bilhões pelo controle da Broadcom, sendo US$ 17 bilhões em dinheiro e US$ 20 bilhões em ações. O resultado será uma fabricante de chips para equipamentos de infraestrutura de telecomunicações com receita anual de US$ 15 bilhões. Para efeito de comparação, a Intel fatura cerca de US$ 55 bilhões ao ano, a Mediatek, US$ 7,6 bilhões e a Qualcomm, US$ 14 bilhões.

Anterior Terrorismo: empresas de tecnologia defendem criptografia
Próximos Dassault Systèmes lança Laboratório de Inovação e aceleradora de startups