Uma radiobase dentro de um pequeno cubo é a quebra de paradigma da Alcatel-Lucent


Barcelona – A principal estrela do stand da Alcatel-Lucent no Mobile World Congress (MWC), que se realiza em Barcelona, é um cubo de seis centímetros quadrados, que contém três placas de circuitos integrados em camadas, com o transmissor e a antena. Desenvolvida nos laboratórios do Bell Labs, a nova estação radiobase, que entrará em trial no segundo semestre e deve chegar ao mercado no ano que vem, representa uma mudança de paradigma tecnológico na cobertura móvel de grandes cidades e locais de grande concentração urbana.

De acordo com Thomas R. Gruba, diretor sênior de produtos de marketing 3GPP, esta  estação radiobase vai atender as faixas de 1.6 GHz a 2.6 GHz. Para as freqüências mais baixas será usada uma versão um pouco maior, de 12 centímetros quadrados. As duas versões estarão disponíveis tanto para a tecnologia 4G como para a 3G.

A nova estação radiobase integra o conceito lightRadio, anunciado pela direção da empresa no início deste mês, que promete, no futuro, acabar com a estação radiobase e com a torre de celular como as conhecemos hoje. Esta radiobase minúscula pode ser colocada em paredes de prédios para iluminar dentro de edifícios que estejam em frente. A quantidade cubos na parede de prédios, e em outros locais, vai depender da área de cobertura pretendida; o normal são blocos de quatro e oito.

Com o conceito lightRádio, além de reduzir custos para as operadoras, o objetivo da Alcatel-Lucent é baixar as emissões de carbono das redes móveis em mais de 50%, pois a minicélula consome muito menos energia por bit e tem o dobro da performance. Além de ser uma eficiente solução de cobertura indoor para as grandes cidades, segundo Wim Sweldens, presidente da Divisão Wireless da Alcatel-Lucent, o lightRadio vai ajudar as operadores móveis a expandirem suas redes sem os custos financeiros e sociais das redes tradicionais. Os custos com aluguel para instalação das antenas, as demoradas licenças para autorização da instalação e a pressão social contra as antenas.

Não por coincidência, na entrada da Feira de Barcelona, onde se realiza o evento, um grupo protestava contra os possíveis efeitos da radiação e pedia, em faixas e cartazes, ao prefeito que retire as antenas da zona central da cidade.

A jornalista viaja a convite da Alcatel-Lucent

Anterior Hélio Costa deve ir para a TIM
Próximos Portas abertas para os desenvolvedores de conteúdo