Uma espécie de GPS do cabeamento da rede


O software CWLan é uma espécie de GPS da rede, com indicadores visuais que mostram todos os caminhos do cabeamento. Substitui planilhas, permitindo gerenciamento, expansão e manutenção de redes em tempo real.

O Tele.Síntese publica aqui texto originais do Anuário Tele.Síntese de Inovação 2018, lançado no final do ano passado. Abaixo, conheça o caso da Cableware, empresa que criou um software visual para gestão da rede.

Uma espécie de GPS do cabeamento da rede

Por Solange do Espírito Santo

A infraestrutura de comunicação de dados, voz e imagem das empresas exige aumentos frequentes no número de conexões para dar suporte às novas tecnologias de transmissão. “Hoje falamos de inteligência artificial, big data, indústria 4.0 e o cabeamento de redes das empresas ainda é controlado com planilhas complicadas e de difícil atualização”, constata Luiz Fernando da Rocha, CEO da Cable Ware. Para solucionar essa questão, a empresa desenvolveu uma solução de gestão de cabeamento de redes por aplicativo, que permite o acompanhamento e a atualização em tempo real, sem a necessidade de intervenção humana.

O software CWLan é uma espécie de GPS (Sistema de Posicionamento Global) da rede, com indicadores visuais que mostram todos os caminhos do cabeamento, explica Rocha. Com o sistema, os profissionais de TI conseguem, de forma automática, detectar a distância o problema e em que ponto da rede está localizado, corrigindo-o com rapidez. “É uma ferramenta de gestão do cabeamento estruturado, que ajuda as equipes de manutenção a gerir de forma simples e intuitiva todo o processo de controle, manutenção e expansão do cabeamento da rede”, assegura.
Rocha cita indicadores do DataPro Information Services Group, segundo os quais 95% das empresas não têm documentação de cabeamento atualizada.

“Com isso, quando há alguma pane, perde-se muito tempo para detectar o ponto exato onde está ocorrendo”, constata. Outro problema comum: muitas vezes, o serviço de cabeamento foi implantado por terceiros e, não raro,
o conhecimento do caminho da rede depende da me mória dos profissionais envolvidos naquele processo, o que pode tornar as informações pouco confiáveis.

A Cable Ware e seu software nasceram justamente diante de constatações dessa natureza. Depois de verificar a falta de solução semelhante no mercado, Rocha, com outros nove profissionais de TI, formou um grupo que desenvolveu o software, com capital inicial de R$ 100 mil.

A solução foi projetada para ajudar os profissionais de TI a gerenciar a camada física de suas redes, melhorar a documentação, a segurança, a produtividade, reduzindo o tempo de parada e simplificando o processo de gestão da infraestrutura física da rede. “Usando algoritmos poderosos e com visual intuitivo, o CWLan detecta tudo o que ocorre nos pontos de conexão e registra automaticamente mudanças, intervenções e entrada de novos componentes na rede, com atualização em tempo real”, assegura o CEO.

O que torna o CWLan único no mercado é que ele pode ser implantado sem qualquer alteração no cabeamento. “Nossos concorrentes são internacionais e fabricantes de patch panels, que exigem que as empresas refaçam sua rede, tornando-as reféns deles. Já nossa ferramenta permite pegar o ambiente já existente e implantar o software. A partir daí, o cliente toma a dianteira no gerenciamento da rede”, destaca Rocha.

Inicialmente, o CWLan era direcionado só para empresas de grande porte, com mais de cinco mil funcionários e ainda dependia de certa intervenção humana. Ao longo do tempo, foram investidos mais de R$ 2 milhões para atualizar o sistema com as inovações tecnológicas. “Desde 2007, não dependemos mais de intervenção humana e o sistema passou a detectar automaticamente qualquer alteração”, diz o CEO da Cable Ware.

A partir de 2016, o sistema migrou para a nuvem. “Com isso, percebemos que o nosso mercado podia ser maior e passamos a atender corporações que têm a partir de 500 funcionários”, informa. No processo de implantação do CWLan, Rocha estima que por dia é possível levantar de 200 a 300 pontos de rede e todo o trabalho dura, em média,
28 dias. Em empresas com 500 pontos, dois técnicos da Cable Ware são destacados para a operação. Já para empresas com cinco mil pontos ou mais, é feito antes um estudo sobre a complexidade da rede.

O CWLan é oferecido de duas formas: venda ou aluguel de licença. No primeiro caso, o cliente compra o direito de uso e a Cable Ware faz o processo de implantação e manutenção do sistema, com a cobrança de taxa anual. Mais de 350 mil pontos de rede estão sendo geridos pelo software por esse mecanismo. Já no aluguel, a cobrança é feita mensalmente de acordo com o número de pontos da rede, com consultoria e manutenção embutidas no pagamento.

Desde o desenvolvimento do software, grandes estatais como os Correios e a Eletronorte e empresas do porte da Votorantim e Renault foram atendidas. O Ministério do Turismo e o Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta) também integram o rol de clientes. “Hoje, estamos presentes em todo o território nacional e a maioria dos clientes agora é do mercado corporativo, com concentração no eixo São Paulo-Rio de Janeiro”, conta Luiz Fernando.

A própria Cable Ware também migrou para o sistema de nuvem e tem um quadro de cinco profissionais em sua sede, na capital paulista, e 25 programadores e analistas de sistemas prestando serviço e ligados à empresa também por nuvem. Com crescimento médio anual de 8%, o executivo informa que a empresa planeja investir mais R$ 3 milhões nos próximos anos para atualizar o sistema.

Anterior A gestão do gado na palma da mão
Próximos Plataforma para criar chatbots em várias línguas