UIT quer uso do G.fast para banda larga de 1/gbps por meio de fios de cobre


O novo padrão G.fast para serviços de banda larga de altíssima velocidade, usando os fios de cobre existentes, ganhou mais um passo rumo à concretização. Um grupo de estudo da UIT (União Internaciomal de Telecomuinicações) aprovou uma recomendação que especifica métodos para minimizar o risco de equipamentos dessa tecnologia interferir com os serviços de transmissão, como rádio FM.

A reunião do ITU-T Study Group abre o caminho para o padrão G.fast a ser aprovado no início do próximo ano. G.fast é projetado para oferecer  downloads super rápidos até uma distância de 250 metros, eliminando assim os custos de instalação de fibra entre o ponto de distribuição e casas das pessoas.  De acordo com a ITU, G.fast podia alcançar velocidades de até 1 Gbps entregues por meio da planta de cobre existentes.

G.fast está previsto para ser implantado pelos prestadores de serviços que desejam fornecer fibra óptica até os domicílios (FTTH), com serviços que permitirão velocidades de upstream e downstream flexíveis para suportar aplicações de grande largura de banda, como streaming de filmes Ultra-HDTV, upload de alta resolução vídeo e bibliotecas de fotos de armazenamento baseado em nuvem, e se comunicar através de vídeo HD.(Da redação, com assessoria de imprensa)

Anterior Embratel ganha conta da AES Eletropaulo
Próximos Pesquisa aponta preferência de brasileiros pelo Facebook