UE: operadoras contra corte de preços do roaming.


De um lado, a Comissão Européia quer baixar os preços do roaming entre os países da União Européia (UE). De outro, as operadoras se defendem com argumentos segundo os quais as tarifas ficariam abaixo dos seus custos, desestimulando o investimento. Mais lenha na fogueira foi colocado por estudo da consultoria CRA para a Associação GSM …

De um lado, a Comissão Européia quer baixar os preços do roaming entre os países da União Européia (UE). De outro, as operadoras se defendem com argumentos segundo os quais as tarifas ficariam abaixo dos seus custos, desestimulando o investimento. Mais lenha na fogueira foi colocado por estudo da consultoria CRA para a Associação GSM (GSMA) que critica as propostas da UE para forçar as empresas a afrouxar os preços cobrados aos assinantes que viajam na região.

Caso as operadoras sejam obrigadas a cobrar abaixo dos custos, diz o trabalho, elas acabariam aumentando as tarifas domésticas na tentativa de aumentar receita. A CRA também sugere que a regulamentação poderia levar o assinante a ter duas contas celulares diferentes. Uma, com tarifas internas mais elevadas, mas com roaming. Outra, mais barata dentro de casa, sem roaming. Isso, aponta a consultoria, além de inconveniente para o cliente, aumenta os custos para as empresas.

Até agora, a Comissão Européia parece determinada a conseguir reduzir as tarifas do roaming regional. Segundo especialistas, se isso acontecer, as operadoras podem ser forçadas a diminuir os preços do roaming em até 40%, o que se refletiria em perdas de receitas de até 10% de seu faturamento total.

(Da Redação com agências internacionais)

Anterior Novos interessados na compra da OLA
Próximos Deputado tentará último acordo para salvar projeto das agências