TeleSintese-IoT-Internet-das-Coisas-automacao-rede-conexao-carro-painel-Fotolia_124122125Justamente no momento em que enfrenta uma operação de capitalização capitaneada pelo Softbank, que deverá investir US$ 10 bilhões na compra de ações em mãos de acionistas com desconto de 30% em relação à ultima capitalização, e mais US$ 1bilhão em novas ações preferenciais, a Uber é envolvida em uma batalha judicial por supostamente roubar segredos comerciais. A autora da ação é a Waymo, unidade de carros autônomos da Alphabet, dona do Google.

A audiência prévia foi realizada ontem, 28, e embora fontes da Uber tenham comentado que nenhuma das testemunhas comprovaram as acusações da Waymo, que disputa com ela o futuro mercado de carros autônomos, o juiz responsável pelo caso, William Alsup, comentou que “uma empresa que cria um sistema subreptício, parece tão suspeita quanto possível”.

Ele se referia aos comentários de um ex-funcionário de inteligência global da Uber, Richard Jacobs, sobre o modo de operação da empresa. Em testemunho por escrito, Jacobs disse que estava ciente de que uma unidade de inteligência da Uber estava implementando “comunicações criptografadas e efêmeras destinadas a proteger e destruir as comunicações que podem ser consideradas sensíveis” e que os funcionários foram instruídos a fazer chamadas telefônicas ou chamadas de vídeo “.

Uber está enfrentando pelo menos cinco investigações federais em vários aspectos de suas práticas comerciais, incluindo uma em possíveis violações da Lei de Práticas de Corrupção no exterior e uma em suas práticas competitivas de inteligência.

Na ação em que acusa a Uber de roubar informações de seus projetos de carros autônomos, a Waymo pede uma indenização de US$ 1,8 bilhão. (Com noticiário internacional)