TVs conectadas são destaque na feira de eletrônicos CES 2012


As chamadas Smart TVs, televisores conectados à internet, estiveram entre os principais lançamentos anunciados esta semana durante a Consumer Eletronics Show, maior feira de eletrônicos do mundo, realizada em Las Vegas todo começo de ano, prenunciando novos modelos de negócios para o setor. (Para outras informações sobre o evento, clique aqui.)

 

As principais novidades foram os aparelhos embarcados com Google TV, middleware semelhante aos de set-top boxes de TV paga tradicionais, mas com o adicional de também acessar conteúdo na internet através de aplicativos, substituindo o modelo linear de televisão por um foco maior em vídeos over-the-top e on demand, como o serviço de streaming Netflix. Produtos como as Google TV da LG, Samsung e Sony, que devem ser lançados ainda este ano, apontam para a substituição dos set-top boxes e do modelo linear tradicional de assistir TV.

 

“As fabricantes de TV que querem ter um canal direto com o consumidor têm dificuldade hoje em dia devido à mediação dos set-top box de operadoras de cabo e satélite, então elas não têm acesso ao que o telespectador está assistindo”, disse ao Financial Times o presidente da Gracenote, Stephen White. O executivo apresentou durante o evento sua solução de reconhecimento automático de conteúdo para as fabricantes de televisores, que também trabalham com middleware próprio para Smart TVs e concorrem no desenvolvimento de aplicativos mais atraentes para o consumidor.

 

A fabricante de PCs chinesa Lenovo, por sua vez, aproveitou a CES para anunciar sua entrada no mercado de televisores (e também no de smartphones) com uma TV baseada no sistema operacional móvel do Google, Android, mais customizável que o Google TV. Outras funcionalidades populares entre as fabricantes de televisores foram os serviços de armazenamento de vídeos e outros conteúdos baixados da internet e o controle por comando de gestos e voz – a Microsoft chegou a demonstrar uma TV com tela sensível ao toque, embarcada com seu sistema operacional, Windows 8.

 

No ano passado, a grande aposta da feira de eletrônicos foram as TVs 3D. No entanto, as vendas dos aparelhos, com seus preços altos, tecnologias que ainda dependem de óculos e falta de conteúdo, se mantiveram fracas ao longo de 2011. Da mesma forma, as Smart TVs também encontram barreiras para sua popularização, com um estudo da Parks Associates afirmando que apenas 55% dos consumidores desses aparelhos nos EUA de fato os conectam à internet.

 

“Esse é “O” ano da TV conectada desde 2008”, disse James McQuivery, analista da consultoria Forrester, ao site da BBC. “Todo ano vemos Smart TVs na CES. No entanto, as fabricantes não conseguem aceitar que cerca de metade das pessoas que compram TVs conectadas nunca as ligam à internet. Então o verdadeiro desafio é convencer as pessoas a usar essa nova função”. Em países emergentes como o Brasil, se acumula ainda o problema da baixa velocidade da banda larga disponível, ainda muito lenta para a transmissão de vídeos em alta resolução.

 

Além desse impeditivo, há também a restrição de conteúdo para esse tipo de aparelho, tanto de aplicativos quanto de serviços over-the-top, que ainda é limitado. Para o site especializado telecoms.com, a chegada do futuro da TV será justamente atrasado pelos donos e produtores de conteúdo – grandes estúdios como Disney, que decidiu não renovar seu acordo de licenciamento de conteúdo com o Netflix. O serviço de streaming vem passando por dificuldades para pagar os valores cada vez mais altos cobrados pelos estúdios e licenciar conteúdo para transmissão fora dos EUA, e já alertou que espera fechar 2012 com prejuízo.

 

Apesar da participação de gigantes da tecnologia, muitos lembram que a CES vem perdendo seu poder de ditar tendências devido à ausência da principal delas, a Apple. A empresa, que nos últimos anos, lançou moda com os lançamentos do iPod, iPhone e iPad, prefere anunciar suas novidades em eventos próprios. A companhia já entrou no mercado de TVs conectadas sem fazer muito barulho com seu set-top box Apple TV, recém-lançado no Brasil, mas a expectativa do mercado é de que a empresa anuncie em breve seu próprio televisor, que contará ainda com sua popular tecnologia Siri de comando de voz.

Anterior PPA destina R$ 13,8 bilhões para a banda larga
Próximos Procon-SP notifica NET por falhas na banda larga