TVA testa WiMAX na faixa de 2,5 GHz


 A operadora de TV paga,  TVA, começa a testar a tecnologia de banda larga sem-fio WiMAX em sua freqüência de 2,5 GHz. Hoje a Anatel concedeu autorização para a operadora realizar testes na cidade de São Paulo por 180 dias. Esse é, efetivamente , o primeiro passo para que a empresa passe a usar a …

 A operadora de TV paga,  TVA, começa a testar a tecnologia de banda larga sem-fio WiMAX em sua freqüência de 2,5 GHz. Hoje a Anatel concedeu autorização para a operadora realizar testes na cidade de São Paulo por 180 dias.

Esse é, efetivamente , o primeiro passo para que a empresa passe a usar a sua freqüência de MMDS também para prestar serviços de acesso à internet banda larga, e não apenas a oferta de canais de TV. A operação de São Paulo é hoje controlada pela Telefônica.

Os questionamentos envolvendo esta freqüência já caminham para uma solução. No ano passado, a Anatel decidiu que as novas licenças de MMDS não iram mais dispor de 190 MHz de largura de banda, deixando apenas 100 MHz para as futuras prestadoras de serviço. Com o restante da faixa, a agência quer alinhar o Brasil ao mundo, que destinou esta banda para a quarta geração da telefonia móvel.

Se a agência já tinha resolvido o futuro, havia questionamentos sobre o que fazer com as atuais operadoras de MMDS, que compraram as bandas do tamanho que lhes foram oferecidas.  A agência resolveu mexer nesta questão na renovação das outorgas. A da TVA se renova no próximo ano, e a agência mandou um documento à empresa informando que precisará do naco de sua freqüência até o ano de 2012.

Mas, no espectro que sobrar, devido à digitalização dos sinais, a TVA poderá também usar a tecnologia WiMAX, só que terá que ter uma licença de serviço de comunicação multimídia e não poderá oferecer a mobilidade.  A operadora decidiu, então, acelerar o movimento rumo a WiMAX. Vale lembrar que ontem a Embratel comunicou oficialmente que já lança o serviço este mês em 12 capitais. 

Anterior Telefonia celular tem melhor fevereiro em nove anos. Vivo mantém liderança.
Próximos BrT distribui R$ 1,47 bi em dividendos