TV por assinatura alcança 7,72 milhões de usuários em fevereiro


O Brasil fechou o mês de fevereiro com 7,72 milhões de assinantes de TV por assinatura, com 101.854 adesões ao serviço, o que representa um crescimento de 1,34% em relação aos números de janeiro (7,62 milhões). A tecnologia DTH (satélite) foi a principal responsável pelo crescimento de usuários do serviço, com evolução de 2,6% comparado …

O Brasil fechou o mês de fevereiro com 7,72 milhões de assinantes de TV por assinatura, com 101.854 adesões ao serviço, o que representa um crescimento de 1,34% em relação aos números de janeiro (7,62 milhões). A tecnologia DTH (satélite) foi a principal responsável pelo crescimento de usuários do serviço, com evolução de 2,6% comparado com o mês anterior. Os números de assinantes da tecnologia cabo avançaram em 0,7%, enquanto os usuários de MMDS (micro-ondas) recuaram em 0,9% no mês, confirmando a tendência de redução de adesão ao serviço, verificada desde o ano passado.

De acordo com as informações da Anatel, as operadoras de TV paga por cabo detêm 4,43 milhões de assinantes, com 57,5% de participação do mercado. Os assinantes de TV por assinatura via DTH chegaram a 2,91 milhões, alcançando 37,9% do mercado e os usuários de TV por assinatura por meio de MMDS recuaram para 350,5 mil recuando para 4,6% da participação do mercado.

Apesar das operadoras que usam o cabo continuarem com o predomínio do mercado, vêm apresentando desempenho inferior ao registrado em 2008, quando detinha 60,5%. Já as operadoras que usam a tecnologia MMDS (micro-ondas terrestre), reduziram a participação no mercado de 6,3%, em 2008, para 4,6% no este ano, com perda de mais 11% dos assinantes. Já as operadoras que usam satélite (DTH), aumentaram a participação no mercado de 33,2% em 2008 para 37,9% até fevereiro deste mês.

A Anatel tem outorgado licença de DTH nos últimos anos, enquanto que as últimas licitações de TV a cabo foram realizadas em 2000. Enquanto que as operadoras de MMDS perderam espaço desde que começaram as discussões sobre a destinação da faixa de 2,5 GHz. Atualmente, essas operadoras detêm 190 MHz dessa faixa, mas a proposta da agência é de que essa banda caia para 40 MHz em 2014.(Da redação)

Anterior No país da jabuticaba, ou como televisão virou telefone no Brasil.
Próximos Telefônica lança campanha para Mundial da África