TV digital: UE faz sigilo sobre contrapartidas


Os dois documentos encaminhados hoje, 24, à ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, pela União Européia (UE) e a Coalizão DVB, e que foram divulgados à imprensa, são vagos em relação ao compromisso das empresas européias de investir na instalação de uma fábrica de semicondutores no Brasil, caso o país opte pelo padrão europeu de …

Os dois documentos encaminhados hoje, 24, à ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, pela União Européia (UE) e a Coalizão DVB, e que foram divulgados à imprensa, são vagos em relação ao compromisso das empresas européias de investir na instalação de uma fábrica de semicondutores no Brasil, caso o país opte pelo padrão europeu de TV digital. Não mencionam valores que poderiam ser investidos efetivamente numa planta industrial, nem em quanto tempo estariam dispostos a concluir um empreendimento. Tudo depende dos estudos de viabilidade.

Nos dois documentos, eles apenas reiteram as propostas anteriores de dar suporte intelectual e apoiar financeiramente (entre esse apoio estariam os 400 milhões de euros do Banco Europeu de Investimentos) a implantação de centros de projetos (design centers) e de aplicações e projetos de pesquisa e desenvolvimento visando, agregar valor à TV digital no Brasil.

Sigilo nas propostas
Mas, segundo João Pacheco, embaixador e chefe da delegação da Comissão Européia no Brasil, o terceiro documento entregue à ministra contém ofertas industriais concretas das empresas que integram a Coalizão. Esse documento, porém, não foi divulgado à imprensa por conter, conforme o embaixador, propostas confidenciais que as empresas preferiram manter em sigilo por questões concorrenciais.

Pacheco garantiu, entretanto, que, se os estudos de viabilidade forem positivos, as empresas, especialmente a STMicroelectronics e a Philips, têm intenção de instalar fábricas no Brasil. “O que elas querem dizer nos documentos é que estão abertas a negociar com o governo brasileiro como fazer (investimentos na área de semicondutores). Se o estudo de viabilidade for positivo as empresas manifestam a intenção efetivamente de investir sim. Posso confirmar isso”, disse.

Convite para a Europa
Um dos dois documentos divulgados é uma carta assinada por Pacheco na qual a UE e a Coalizão DVB solicitam uma reunião, nos próximos dias, com o comitê de ministros que negocia as contrapartidas industriais e políticas para a implantação da TV digital e convida os ministros e outros membros do governo brasileiro a visitar alguns países da Europa onde estão baseadas empresas da Coalizão.

O convite da UE acontece um dia após o ministro das Comunicações, Hélio Costa, ter anunciado que o governo brasileiro fará uma viagem ao Japão e à Coréia para discutir contrapartidas industrias com os governos e empresas daqueles países.
O outro documento divulgado é um “projeto de implementação de alto nível de desenvolvimento de uma indústria de semicondutores no Brasil” assinado pela Nokia, STM, Thomson, Philips, Rohde&Schwarz e Siemens. Pelo projeto, a implantação da indústria de semicondutores deve seguir quatro etapas: preparação do capital intelectual humano, análise das condições de viabilidade, preparação do ecossistema e implementação das unidades de manufatura. O documento apenas divaga sobre as duas últimas etapas, sem propor ações concretas. Em outros pontos, o documento detalha como as empresas européias apoiarão centros de pesquisa e de desenvolvimento de aplicativos para TV digital.

Anterior TV digital: Finlândia testa transmissão DVB-H para celulares
Próximos Evolving Systems chega ao Brasil