TV digital: mudam os critérios de aferição da pesquisa e da comunicação


O acordo firmado hoje, 20, no Gired entre teles, TVs e Anatel para a transição da TV analógica para a TV digital prevê também mudanças no critério de aferição do atingimento das metas e na intervenção da programação da TV.

Segundo o conselheiro da Anatel, e presidente do Gired, Rodrigo Zerbone, foram decididas  hoje, 20, mudanças no critério de aferição e de comprovação de que a digitalização dos sinais de TV foi alcançada para o desligamento dos sinais analógicos. Em primeiro lugar, a margem de erro da pesquisa será a favor do processo de desligamento. Ou seja, se 90% das residências tiverem com a TV digital, a cidade poderá ser desligada.

Foram incluídos também  para efeitos de comprovação de TV digital  os domicílios com assinaturas de TV a cabo.  Estarão fora apenas os domicílios que têm canais por satélite, pois não recebem todos os canais abertos de TV. Nos casos em que não se atingiu  93% das residências com capacidade de receber o sinal de TV digital, o Gired poderá tomar a decisão pelo desligamento, caso essa decisão seja unânime.

Comunicação

Também será mandatório que as TVs comecem a transmitir 16 por 9 um ano antes da digitalização. Isso significa que a TV analógica começará a transmitir imagem menor, com tarja preta em cima e em baixo da tela. O que significará rápida mudança em Brasília, no máximo em 30 dias, já que se  pretende  que em outubro os sinais analógicos sejam desligados na capital federal.

 

Anterior Proteste quer desconto nas contas por ligações de celular recebidas com número do usuário
Próximos Dilma convida José Félix para integrar o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social