TSE determina retirada de links em que Bolsonaro põe urna eletrônica em dúvida


Por 6 votos a 1, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) determinou nesta quinta-feira (25) a retirada de 55 links com vídeo em que Jair Bolsonaro, candidato a presidente pelo PSL coloca o sistema de votação em urna eletrônica como sendo passível de fraude. Diante da decisão, Google e Facebook terão 24 horas para remover os links.

Dos 55 links, dois estão em páginas do próprio candidato e outros 53 foram replicados por seguidores. O vídeo foi transmitido pelo candidato, no Facebook, em 16 de setembro, quando sugeriu a possibilidade de fraude nos resultados das urnas como parte de um plano para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) possa deixar a prisão, onde está desde abril.

A ação no TSE foi impetrada pelo PT. O pedido já havia sido negado em caráter provisório pelo relator do caso, ministro Carlos Horbach. A campanha petista recorreu. Na análise em plenário, hoje, Horbach manteve sua posição, defendendo que a intervenção do Judiciário deve ser mínima no processo eleitoral. A divergência foi aberta pelo ministro Edson Fachin, segundo a votar e que compõe também o STF (Supremo Tribunal Federal), além do TSE. Seu voto foi seguido pelos demais ministros.

 

Anterior Anatel vai decidir cap de frequência no dia 1 de novembro, para alívio da Nextel
Próximos Nokia anuncia novos cortes a fim de economizar mais € 700 milhões até 2020