Trópico integra plataforma NGN com sucesso


A Trópico, joint venture entre a Promon e a Fundação CPqD, comemorou, ontem, 18, o encerramento da primeira etapa do projeto Converte, de desenvolvimento de plataformas de redes de nova geração (NGN). “Integramos numa mesma plataforma as funções de TDM, softswitch e servidor de sinalização”, conta Raul Del Fiol, presidente da empresa. O projeto de …

A Trópico, joint venture entre a Promon e a Fundação CPqD, comemorou, ontem, 18, o encerramento da primeira etapa do projeto Converte, de desenvolvimento de plataformas de redes de nova geração (NGN). “Integramos numa mesma plataforma as funções de TDM, softswitch e servidor de sinalização”, conta Raul Del Fiol, presidente da empresa. O projeto de evolução dos equipamentos da família Vectura foi desenvolvido ao longo de três anos e consumiu R$ 72 milhões, financiados pelo Funttel (Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações).

A próxima etapa de desenvolvimento do projeto vai ter como foco o ambiente IMS (IP Multimedia Subsystem). Mas Del Fiol informa que a empresa ainda está definindo o volume de investimentos necessário. A Trópico também vai se candidatar a recursos do Funttel mas, nesta etapa, terá que entrar com contrapartida. Na primeira, embora a contrapartida não fosse prevista, a Trópico acabou aportando R$ 10 milhões, principalmente em recursos humanos.

O produto financiado pelo Funttel já está no mercado. Telefônica e Oi são clientes da família Vectura da Trópico, que também fornece produtos para portabilidade para a Brasil Telecom. “Na área de portabilidade, também estamos vendo oportunidades na GVT e na CTBC Telecom”, conta Del Fiol. Mas a grande expectativa da equipe da Trópico, no momento, gira em torno de propostas apresentadas a operadoras de outros países da América Latina. Conquistar novos mercados é fundamental para a consolidação da empresa.

Aliás, a Trópico vem colhendo bons frutos de sua entrada no mundo NGN. Saltou de um faturamento de R$ 4 milhões, há quatro anos, para uma receita de perto de R$ 100 milhões (expectativa para este ano), com resultado positivo. No ano passado, registrou faturamento de R$ 72 milhões e lucro de R$ 4 milhões.

Anterior TIM lança telefone fixo também para pré-pago
Próximos Interferência política cresce sobre a Anatel, diz Amcham.