Três interessados na compra da colombiana OLA


No dia 3 de agosto, a Empresa de Telecomunicaciones de Bogotá (ETB) e a Empresas Públicas de Medellín (EPM) vão escolher o “sócio estratégico” da sua subsidiária de telefonia móvel OLA, esse parceiro será uma operadora internacional de telecomunicações que capitalizará e assumirá o controle da empresa. A informação foi enviada pela ETB e EPM, …

No dia 3 de agosto, a Empresa de Telecomunicaciones de Bogotá (ETB) e a Empresas Públicas de Medellín (EPM) vão escolher o “sócio estratégico” da sua subsidiária de telefonia móvel OLA, esse parceiro será uma operadora internacional de telecomunicações que capitalizará e assumirá o controle da empresa. A informação foi enviada pela ETB e EPM, no último final de semana, à Superintendencia Financiera, segundo noticiou a imprensa coombiana. O processo de escolha deve se encerrar em 30 de agosto.

Os sócios da OLA informaram que três empresas chegaram à segunda fase do processo: a Millicom International Cellular, de Luxemburgo, Entel PCS do Chile e Digicel da Irlanda. Com um “sócio estratégico”, ETB e EPM esperam garantir o futuro de sua subsidiária móvel, na qual investiram mais de 1,5 bilhão de pesos desde a sua criação, em 2003.

Em março, a OLA tinha 2,3 milhões de assinantes, ocupando o terceiro lugar no ranking do país, atrás da Comcel (controlada pela América Móvil, de Carlos Slim), com 15,9 milhões de clientes; e da Movistar (Telefónica), com 6,8 milhões. A operadora da ETB e da EPM está em vias de lançar o EDGE (Enhanced Data rates for GSM Evolution), para transmissão de dados em velocidade, com infra-estrutura fornecida por Siemens e Huawei. Em 2006, a OLA está investindo mais de US$ 110 milhões para melhorar a qualidade e ampliar a cobertura de sua rede.

(Da Redação com agências internacionais)

Anterior Aguiar admite que consumidor perde com atraso do reajuste tarifário
Próximos Couto é promovido na Microsoft