A transformação digital da indústria exige indicadores para medir o desempenho, diz Gartner


shutterstock_agsandrew_conteudo_digital_midia_internetOs disruptores digitais estão surgindo em todas as indústrias e é necessário que os CIOs urgentemente abracem a transformação digital, alerta o Gartner, destacando que não é mais possível interromper a transformação digital uma vez que a receita para o setor digital já atinge 20% do total da receita. A disrupção digital tem sido vista em indústrias como a de livros e de vestuário e está alcançando outros setores, como o de supermercados tradicionais.

Ao traçar esse cenário, Mike Harris, vice-presidente sênior de Pesquisas do Gartner, explicou hoje em palestra para mais de 1.500 CIOs e líderes de TI, no Gartner Symposium/ITxpo, que se realiza em São Paulo, que os disruptores digitais estão fazendo duas coisas: trazendo novas oportunidades e atacando a fraqueza dos fornecedores estabelecidos.

“Os disruptores digitais buscam demandas de clientes não atendidas. Eles encontram maneiras de usar o excesso de capacidade da cadeia de suprimentos, exploram novas plataformas de conscientização e marketing e, também, potencializam novos canais de distribuição. O segmento digital também expõe as fraquezas dos fornecedores estabelecidos”, afirma Harris.

Durante a palestra, o analista comentou que os indicadores ainda não estão estabelecidos. E que, para melhor entender as melhores práticas, é importante desenvolver KPIs digitais em toda a empresa. “KPIs digitais se tornarão a bússola empresarial, incorporada aos objetivos de desempenho de cada líder da organização. Os responsáveis devem medir os indicadores-chave, não os defasados. Os grandes players medem-se pelo número de parceiros registrados em seus ecossistemas”, explica.

Papel dos CIOs

Os dados do Gartner mostram que dois terços de todos os líderes empresariais acreditam que empresas devem acelerar o ritmo de digitalização. A nova geração de CEOs (Chief Executive Officers) acredita que suas empresas devem usar a tecnologia para obter uma vantagem competitiva.

“Isso coloca os CIOs em destaque. Você faz parte da transformação digital. Mas isso não significa exatamente o mesmo para cada CIO. Para enfrentar o desafio digital, deve-se entender o que se espera e o que você realmente aspira ser”, diz Harris.

Dentro da empresa, em qualquer dia e com qualquer parceiro, o tipo de liderança oferecida pelo CIO pode variar. Existem três papéis situacionais que incluem: um CIO parceiro, um CIO construtor ou um CIO pioneiro.

O primeiro tipo, o CIO parceiro, deve operar de forma mais transacional, com foco em gerenciamento de serviços, área de TI, valoração para o investimento, além de se preparar para o digital. O tipo construtor está projetando e habilitando novos produtos e serviços e trabalhando com outros profissionais em toda a empresa. Já o terceiro tipo atua como empreendedor, alavancando tecnologias para construir novas capacidades, novos modelos de negócios e novos fluxos de receita. (Assessoria de Imprensa)

Anterior MCTIC apoia decisão da Anatel de não fazer TAC com Oi
Próximos Kassab conclama sociedade a fazer pressão por mais recursos para C&T