Tráfego em redes móveis crescerá 5x no Brasil até 2021


6720-101413-gs6720-720x320Dados revelados hoje, 07, pela Cisco indicam que as operadoras de telefonia móvel precisam investir muito para em capacidade de rede para lidar com o crescimento acelerado da demanda por banda larga. Isso porque o tráfego de dados das redes celulares vai crescer cinco vezes até 2021, apenas no Brasil. No resto do mundo, a previsão de que esta demanda aumente em sete vezes.

As informações constam no relatório anual VNI, que reúne bases de informação de diversas fontes e também traz análises sobre tráfego e qualidade de redes em diversos países. O volume deve crescer tanto em função da expansão da tecnologia LTE/4G, e da internet das coisas.

Os indicadores mostram que o tráfego de dados das redes móveis representará 20% do tráfego IP total em 2021. Em 2016, esse volume foi de 8%. Com a internet das coisas, a Cisco calcula que, em cinco anos, haverá 12 bilhões de dispositivos móveis conectados, ante 8 bilhões atualmente.

A Cisco estima que a velocidade média mundial dos acessos também vai aumentar. Passará de 6,8 Mbps para 20,4 Mbps. No Brasil, o tráfego de dados móveis terá um crescimento duas vezes mais rápido que o tráfego IP entre 2016 e 2021; e 77% das conexões móveis no País serão conexões “inteligentes” até 2021, em relação a 52% em 2016.

O 4G suportará 58% do total de conexões móveis até 2021 — acima do nível de 26% em 2016, e será responsável por 79% do tráfego total de dados móveis. A Cisco projeta que as redes 5G serão responsáveis por 1,5% do tráfego total de dados móveis até 2021 e gerarão 4,7 vezes mais tráfego do que a conexão média 4G e 10,7 vezes mais tráfego do que a conexão média 3G.

Volume virá do vídeo, WiFi fará offload
O VNI mostra que o vídeo continuará a ser o maior indutor do consumo de dados nas redes móveis. O vídeo móvel vai crescer 8,7 vezes entre 2016 e 2021 e terá a maior taxa de crescimento entre quaisquer categorias de aplicação móvel. Representará 78% de todo o tráfego móvel até 2021. O vídeo móvel ao vivo crescerá 39 vezes entre 2016 e 2021. Representará 5% do tráfego total de vídeo móvel até 2021. No Brasil, o tráfego de vídeo móvel crescerá 6,8 vezes entre 2016 e 2021, uma taxa de crescimento anual de 47%.

O tráfego de dados móveis será transferido para redes WiFi. Em 2016, 60% do tráfego total de dados móveis foi transportado via WiFi; até 2021, a parcela será de 63% globalmente, e 68% no Brasil. Globalmente, o total de hotspots WiFi públicos (incluindo homespots) crescerá seis vezes entre 2016 (94 milhões) e 2021 (541,6 milhões).
O tráfego WiFi de dispositivos móveis e apenas de dispositivos WiFi, juntos, vai representar quase metade (49%) do total do tráfego IP até 2020, um crescimento em relação ao patamar de 42% em 2015. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Anatel estuda mudar regra de MVNO e propor redução do Fistel para IoT
Próximos Ampliação de frequência não licenciada entra no debate da Internet das Coisas