Todas operadoras de serviços coletivo de telecom vão ter que informar quem são seus acionistas à Anatel


 

A Anatel entendeu que só há uma forma de fiscalizar os limites à propriedade cruzada estabelecidos na nova lei de TV paga, a lei do SeAC (Serviço de Acesso condicionado): vai obrigar que todas as operadoras de telecomunicações de serviço coletivo informem à agência sua composição acionária e  atualizem qualquer modificação societária.

 

Segundo o superintendente de Comunicação Eletrônica de Massa, Marconi Maia, as operadoras que têm licença na Anatel ou que venham a pedir as outorgas de serviço coletivo terão que declarar se têm ou não sócios radiodifusores em seu capital e destrinchar a  participação societária de cada um de seus acionistas.

 

“A Lei do SeAC é clara quando estipula os limites de 50% para os radiodifusores possuírem licenças de telecomunicações e de 30% para as operadoras de telecom ingressarem no capital das emissoras de radiodifusão. E vamos usar a portaria 101 da Anatel para averiguar essas participações”, afirmou.

 

Conforme a gerente-geral da superintendência, Ângela Catarcione, a partir desta sexta-feira, dia 3 de agosto, estará disponível no portal da Anatel um sistema para as operadoras se cadastrarem e entregarem as suas declarações de composição societária, que deverão ser atualizados todas as vezes em que houver mudanças acionárias. “Esta é a forma que encontramos para manter atualizadas essas informações’, explicou Maia.

 

“Conforme estabelece a lei, os limites à participação cruzada serão exigidos a partir do dia 12 de setembro”, ressaltou. Ele esteve presten no seminário ABTA.  

Anterior Agência estuda se modelo Netflix vai ser enquadrado como TV por assinatura
Próximos Domínios “.br” registrados chegam a três milhões