“Tínhamos, temos e teremos compromisso com a Zona Franca”, diz Furlan.


Na entrevista concedida hoje, 22, aos jornalistas, para detalhar a Medida Provisória que cria benefícios fiscais para os setores de semicondutores e transmissores para TV digital, o ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan, fez questão de deixar claro a preocupação do governo em preservar a capacidade atual de atração de investimentos da Zona Franca de …

Na entrevista concedida hoje, 22, aos jornalistas, para detalhar a Medida Provisória que cria benefícios fiscais para os setores de semicondutores e transmissores para TV digital, o ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan, fez questão de deixar claro a preocupação do governo em preservar a capacidade atual de atração de investimentos da Zona Franca de Manaus.

Ele frisou que será natural a produção dos conversores da TV digital (setop boxes) se concentrar na Zona Franca, uma vez que o governo optou por não mexer nos benefícios fiscais diferenciados que a região oferece às empresas.

“O Pólo Industrial de Manaus não terá nenhum efeito negativo com as medidas anunciadas hoje. Pelo contrário”, disse o ministro. Questionado se tinha o compromisso de preservar a Zona Franca, Furlan respondeu: “Tínhamos, temos e teremos um compromisso com a Zona Franca”.

O ministro destacou que a redução de impostos na área de TV digital tem como objetivo estimular o mercado interno de produção de transmissores digitais e baratear os equipamentos, permitindo que os radiodifusores renovem rapidamente o parque industrial e universalizem o sinal digital no país.

“O Brasil tem hoje uma indústria de transmissores que abastece o mercado interno e há uma necessidade de barateamento dos custos industriais, por isso estamos desonerando a cadeia de produção de transmissor para que haja uma penetração rápida do sinal digital”, reforçou Jairo Klepacz, secretário de Tecnologia Industrial do Ministério do Desenvolvimento.

Anterior Desenvolvimento: medidas sinalizam que Brasil voltou ao jogo por mercado de semicondutores.
Próximos Licitações: nova lei amplia uso da internet nas compras públicas.