TIM vai aumentar investimentos na rede móvel e quer participar do Banda Larga para Todos


O CEO da Telecom Italia, controladora da TIM, Marco Patuano disse hoje (29) para o governo que a empresa pretende ampliar os investimentos no mercado brasileiro, já a partir deste ano, apesar da preocupação do mercado internacional com a economia do país. Os valores do investimento serão anunciados no próximo dia 20 de fevereiro, quando da divulgação do balaço anual da operadora brasileira.

marco patuano portaria encontro berzoini 29-01O CEO da Telecom Italia, controladora da TIM, Marco Patuano disse hoje (29) para o governo que a empresa pretende ampliar os investimentos no mercado brasileiro, já a partir deste ano, apesar da preocupação do mercado internacional com a economia do país. Os valores do investimento serão anunciados no próximo dia 20 de fevereiro, quando da divulgação do balaço anual da operadora brasileira.

Patuano, o presidente da TIM, Rodrigo Abreu, e o chairman da Telecom Italia, Giuseppe Recchi, estiveram reunidos hoje com o ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini. Segundo Patuano, a empresa veio em peso para demonstrar seu compromisso com o país, que será fortalecido com o aumento de investimentos da TIM Brasil. “Nos próximos anos, vamos ter um diferente padrão de investimentos. Mais investimentos em redes móveis de 3ª e 4ª geração”, afirmou ele. O valor desses investimentos será anunciado em 20 de fevereiro, quando da divulgação do resultado de 2014 da operadora.

Patuano afirmou, ainda, que a empresa está interessada em participar do Programa Banda Larga para Todos, anunciado pela presidente Dilma – que pretende levar fibra óptica para 90% dos municípios brasileiros.“Falamos ao ministro que este é um projeto que pode interessar a TIM no longo prazo”, afirmou ele.

Para o executivo, mais importante do que subsídio fiscal para o  programa de banda larga, é contar com um  marco regulatório estável. E, para ele, o Brasil está fazendo o trabalho certo. Preferiu não se manifestar sobre possível mudança nas regras da concessão, embora esta seja uma das principais preocupações do grupo italiano, segundo interlocutores do governo, para fazer qualquer movimento em direção à Oi.

Em relação às possíveis fusões ou venda, Patuano foi sucinto: “ Zero assunto”.

Apesar do cenário econômico nada favorável – crescimento do PIB pequeno e inflação alta -, o presidente da Telecom Italia entende que este é uma situação passageira, e a empresa tem compromisso de longo prazo. “Temos um  alinhamento com o país e alguns momentos mágicos nos quais temos que fazer mais”.

Anterior FCC fatura US$ 44,9 bilhões em leilão de espectro
Próximos Samsung tem terceiro trimestre seguido de queda nos lucros