TIM testa rede NB-IoT de longo alcance em Goianésia


Foto: Projetado pelo Freepik
Foto: Projetado pelo Freepik

A TIM realizou testes em conjunto com a Ericsson que confirmaram o funcionamento da tecnologia NB-IoT (Narrow Band em IoT) sobre sua rede 4G na cidade de Goianésia, no interior de Goiás, para grandes distâncias.

Durante o experimento, um dispositivo NB-IoT disponível comercialmente conseguiu enviar informações de sua localização e outros dados referente à sua conectividade para diferentes plataformas de Internet das Coisas (IoT) mesmo estando a 100km de distância e em diferentes direções da estação rádiobase localizada na fazenda da Jalles Machado, parceira da operadora no projeto “4G TIM no Campo”.

Os resultados comprovam o alcance maior possibilitado pela plataforma NB-IoT e abrem o caminho para a viabilização de soluções de IoT em regiões de menor densidade populacional, como é o caso das fazendas e usinas da agroindústria brasileira e dos moradores de cidades que ficam nos seus arredores.

“Os testes que realizamos em Goianésia confirmam o acerto na escolha de adotar o NB-IoT como tecnologia de conectividade para Internet das Coisas da TIM”, afirma Silmar Palmeira, Diretor de Inovação e Tecnologia da TIM Brasil.

O teste foi baseado na tecnologia LPWAN – rede sem fio de longa distância e baixo consumo de energia – em NB-IoT na banda 28 (700MHz) padronizados pelo 3GPP, validando a funcionalidade de cobertura estendida desenvolvida pela Ericsson, que aumenta os limites de 40km para 100km sem qualquer impacto nos dispositivos. Com ela é possível ler dados de um dispositivo e também comandar equipamentos que estejam a distâncias de até 100km da base, tecnologia essencial para a ativação de soluções de comunicação entre máquinas.

“O benefício desta funcionalidade não é somente técnica, mas também comercial, permitindo que a TIM otimize o investimento em IoT para áreas mais distantes que possuem equipamentos Ericsson” diz Leandro Nobre, CTO da Ericsson para a TIM.

Além de Goianésia, o NB-IoT, já está disponível nas cidades de Itajubá, Santa Rita, Correntina, Cataguases, Campinas e Rio de Janeiro, lugares nos quais a TIM possui parcerias com empresas voltadas para o agronegócio ou instituições focadas no desenvolvimento de tecnologias para cidades inteligentes.

Até 2020, a operadora espera ter mais de 4.000 municípios operando na faixa 700MHz e que podem ser contemplados com soluções de IoT. As aplicações estão ligadas neste momento a soluções para o agronegócio; sensores de poluição de cidades; medidores para a energia, água e esgotos das cidades, entre outras iniciativas que tornam os sistemas mais eficientes.

A rede 4G da TIM vem sendo preparada como uma plataforma para todos os tipos de serviços, inicialmente com a banda larga móvel, passando pela internet fixa com a tecnologia WTTx (acesso fixo), além do VoLTE, serviço de voz sobre a rede de tecnologia de quarta geração, e para soluções de cidades e agricultura inteligentes por meio da plataforma NB-IoT. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Anatel lança campanha para explicar como o consumidor pode cancelar serviço de telecom
Próximos Fashion TV entra na grade da Sky

Sem comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *