TIM seria a grande beneficiada de eventual compra da Oi Móvel, avaliam analistas


Cálculos do BTGPactual indicam sinergias de até R$ 13 bilhões caso a TIM arremate 70% da Oi móvel. A Vivo teria sinergias de quase R$ 6 bilhões se ficasse com os demais 30%. Não haveria concentração de espectro, exceto nos 1,8 GHz.

Designed by Freepik
Designed by Freepik

A Oi mal anunciou a venda dos seus ativos na África e já há forte expectativa no mercado financeiro sobre a venda da Oi Móvel, sua unidade de telefonia celular. Conforme noticiado pelo O Globo no final de semana, a tele contratou o Bank of America com a missão de operacionalizar a venda ainda este ano. Além disso, todas as três principais concorrentes – TIM, Vivo e Claro -, já teriam recebido as informações necessárias para avaliar a aquisição.

Pelo ativo móvel, a Oi pede R$ 15 bilhões, o valor mínimo calculado pelo Banco BTGPactual, que há uma semana soltou relatório estimando que a divisão poderia alcançar até R$ 18 bilhões.

Hoje, os analistas Carlos Sequeira e Osni Carfi distribuíram novo relatório, reiterando seus cálculos. Mas foram além. Segundo eles, a Oi será a grande beneficiada em vender o móvel pois poderá se concentrar na expansão de sua rede de fibra óptica.

A TIM seria a segunda principal beneficiada dessa megatransação, a maior beneficiada como compradora. No entendimento dos analistas, o Cade permitiria à tele ficar com no máximo 70% da Oi Móvel. Essa fatia seria suficiente para gerar R$ 13 bilhões para a TIM em fluxo de caixa operacional adicional (trazido ao valor presente), além de adicionar espectro à operadora, que hoje possui menos frequências que Claro e Telefônica Vivo.

Os analistas chegaram à previsão de 70% levando em conta que, após a fusão, a empresa formada por TIM + Oi Móvel teria market share acima de 50% em sete estados (dois do Sul e cinco do Nordeste). Abrindo mão desses locais, a chance de vetos antitruste diminuiriam.

Quanto ao espectro, vale lembrar que a Anatel restringe a quantidade de frequências abaixo de 3 GHz que podem ser detidas por uma mesma empresa. Mas a operação TIM + Oi Móvel teria a mesma quantidade de frequências detida hoje por Claro e Vivo em 2,5 GHz, e praticamente o mesmo que a Claro em 1,9 GHz. Embora os analistas não entrem nesse detalhe, nos 1,8 GHz a operação teria mais de 50% do espectro disponível, concentração além do limite de 40% permitido pela Anatel, portanto, que exigiria algum remédio.

Para a Vivo, participar da transação também traria os benefícios de frear a entrada de um novo concorrente no Brasil, além de acrescentar a suas contas quase R$ 6 bilhões em sinergias. O BTGPactual não apresentou cálculos para consolidação envolvendo a Claro, que não é companhia negociada na bolsa, embora ressalte que a tele também se beneficie da “blindagem” do mercado e de aumento do fluxo de caixa.

Anterior Serpro abre consulta visando aquisição de sistema de gestão de documentos
Próximos Uber lança código de verificação de viagens no Brasil

9 Comments

  1. Jefferson Rodrigues de Oliveira
    27 de Janeiro de 2020
    Responder

    Essa compra seria ótima para quem compra, porém péssima para os clientes que perderiam na questão de concorrência. Quanto mais concorrência, melhor para nós, consumidores.

  2. Rogério Pires
    27 de Janeiro de 2020
    Responder

    Como cliente TIM gostaria que, se a notícias de fato for verdadeira, que as frequências adquiridas melhorassem significativamente a qualidade / velocidade da internet móvel da TIM.

  3. Iremar Modesto Jr
    27 de Janeiro de 2020
    Responder

    Como fica quem tem plano da Oi por exemplo? Tenho plano de 100gb e gosto muito dele, vão acabar?

    • 27 de Janeiro de 2020
      Responder

      Iremar, por enquanto, fica tudo como está. O que existe são conversas entre as empresas. Quando, e se, elas decidirem pelo negócio, vão dizer como ficará para os clientes.

    • Erick Nilson
      28 de Janeiro de 2020
      Responder

      Tambem sou cliente Oi Pos e tenho essas duvidas.
      Mas…
      Só vai mudar seu plano quando a validade dele vencer.
      Em 2008, quando a Oi comprou a Brasil Telecom, o Pula Pula da Brasil Telecom continuou normalmente valendo até 2010 (em 2006 essa foia data que a BrT dissera que o plano venceria).
      Eles nao vao mudar seu plano de repente quando a Oi for vendida.
      Pra mudar seu plano, voce deve ser avisado com antecedencia de 30 dias.

  4. 28 de Janeiro de 2020
    Responder

    Seria interessante uma venda para uma empresa fora do mercado nacional. Com pouca concorrência a oferta para o consumidor final seria espremida, não restando muitas opções, o que seria o contrario da ideia inicial com a abertura das teles feita no final dos anos 90. O marco regulatório LGT foi pro espaço.

  5. Marcelo
    28 de Janeiro de 2020
    Responder

    Fujam desse lixo. Podem vender e divulgarem qualquer coisa que esse lixo de ação não sobe. É nítido o interesse da companhia de manter a ação abaixo de 1,00 para forçar o agrupamento. Basta notar que nem o Formador de Mercado da empresa , o Credit Suisse sustenta a cotação acima de 1,00. Vcs acham que a empresa não é conivente com tal postura já que paga pelo serviço?

  6. Erick Nilson
    28 de Janeiro de 2020
    Responder

    A Vivo tem muito interesse na Oi porque a Oi é a 2a no Centro Oeste (GO, DF e TO) e lider no Ceará e 2° lugar na maior parte do Nordeste.
    A TIM também tem interesse na Oi pelos mesmos motivos que citei acima.

  7. Erick Nilson
    28 de Janeiro de 2020
    Responder

    A Vivo tem muito interesse na Oi porque a Oi é a 2a no Centro Oeste (GO, DF e TO) e lider no Ceará e 2° lugar na maior parte do Nordeste.
    A TIM também tem interesse na Oi pelos mesmos motivos que citei acima:
    a Oi é forte em estados do Centro Oeste (GO, DF e TO) e em alguns estados do Nordeste.
    Vamos aguardar o que 2020 reserva para a Oi…

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *