TIM espera que receita de dados supere voz neste ano


A expectativa da TIM é de que a receita de dados supere a de voz em algum momento de 2016, reiteirou Rodrigo Abreu, presidente da companhia, durante conferência sobre os resultados do 4º trimestre de 2015 da empresa, hoje (5) pela manhã. Abreu destacou que, apesar da queda na receita total da empresa e de seu lucro, em decorrência do cenário macroeconômico e da redução da VU-M, a receita de dados continuou a evoluir positivamente.

No 4T15, a receita de dados registrou um crescimento de 17% em relação a igual período do ano anterior. Os chamados dados inovativos, sem contabilizar a receita de SMS, subiram 39%. Entre junho e dezembro de 2015, a penetração dos dados no segmento pós-pago subiu de 13% para 78%; no segmento Controle, de 70% para 76%; e no segmento pré-pago, de 36% para 45%.

Segundo Abreu, os dados deverão continuar a crescer na casa de dois dígitos em 2016, apesar do cenário macroeconômico adverso. Ele destacou ainda que a companhia já pode notar resultados positivos na mudança de seu portfólio, em outubro de 2015, quando passou a tratar igualmente, do ponto de vista de tarifas, o tráfego on-net e o tráfego off-net e lançou planos mais simplificados e com maior capacidade de dados. “Embora o período seja muito curto, já é possível perceber uma performance positiva dos novos combos”, disse ele, lembrando que os novos pacotes oferecem mais ao usuário, e seu valor também subiu. Como exemplo, citou o plano Controle, que passou de R$ 32 ao mês para R$ 59 mensais. “Estamos oferecendo mais por mais”, disse ele.

O crescimento da receita de dados, que se acelerou no segundo semestre depois de um primeiro semestre de relativa estabilidade, é resultado, segundo Abreu, não só de uma mudança estrutural na indústria, da migração da voz para os dados. Mas também consequência dos investimentos feitos pela empresa na ampliação da rede 3G e na implantação da rede 4G, que já representam 67% da base da companhia contra 52% de um ano atrás.

O presidente da TIM assinalou que a rede 4G é a de maior cobertura no país, cobrindo 411 cidades contra 45 em 2014. Entre 2014 e 2015 foram instalados mais 4,8 mil sites, interligados por fibra óptica, graças ao refarming da faixa de 1.800 MHz. A rede de fibra da companhia atingiu 70 mil km. Dos investimentos feitos pela companhia na rede, houve um aumento 6% na rede 3G, em relação aplicado no ano anterior, e de 133% na rede 4G. Já os recursos aplicados na rede 2G se reduziram em 2,2% em relação ano anterior, e já significam uma parte marginal dos investimentos.

 

 

Anterior AT&T fará testes com 5G em quatro frequências
Próximos TIM aposta em OTTs nas redes móvel e fixa para oferta de vídeo