TIM e Inatel farão campo de teste OpenRAN em MG


A TIM estabeleceu uma parceria com o Inatel, de Santa Rita do Sapucaí (MG), para criar um “living lab” de redes móveis baseadas em protocolos abertos OpenRAN. A intenção é sair do laboratório e testar como a padronização aberta se sai em campo, mais próximo da vida real.

“Para testar redes sem fio tem que ser em ambiente real. Fatores como propagação, interferência e mobilidade não podem ser testado com confiança em um laboratório”, explicou Marco Di Costanzo, diretor de engenharia de redes da TIM.

PUBLICIDADE

A operadora já é parceira da instituição de ensino em iniciativas para teste da 5G, mas o living lab deve ser mais amplo, contar com uma cobertura de rede maior e ter a adesão de diversos parceiros. Até o momento, quatro fornecedores aderiram, de um total de dez que foram convidados a participar.

Segundo Costanzo, esse “campus” OpenRAN vai rodar o que chama de “sprint tests”, testes rápidos com diferentes abordagens sobre a aplicação dos protocolos abertos na rede móvel, mas também no núcleo da rede.

“Vamos testar vários pontos, da operação da rede à manutenção, verificar quais as opções de otimização, se teremos interfaces abertas. Vamos ver quais dos fornecedores têm produtos viáveis. Ver quais são os problemas, as limitações, quais fornecedores tem maior capacidade para oferecer patches de software, atualizações”, contou.

Ele explicou que o modelo é derivado dos testes com OpenRAM que a Telecom Italia vem promovendo na Europa, em parceria com Altiostar e com a Paralell Wireless, duas fornecedoras de tecnologia para redes de protocolo aberto. Costanzo diz que o campus “será um ambiente permanente, contínuo, fundamental para sair da prova de concentro para a operadora tomar uma decisão embasada e levar a implementação para sua rede real”.

Anterior Telefônica Vivo adota OpenRAN na rede 4G de cidades do NE
Próximos CEO da Oi pede liberdade de acesso a diferentes tecnologias