TIM e Claro são acionadas por antenas sem licenças no PR


A Promotoria de Justiça de Proteção ao Meio Ambiente em Curitiba ajuizou ação civil pública ambiental contra as operadoras de telefonia celular TIM e Claro pela instalação de estação rádio-base sem a devida licença ambiental. Na sua argumentação, a promotoria destaca que atualmente não existem parâmetros nacionais para o licenciamento ambiental de torres de telefonia no país, “pois em cada cidade brasileira existem critérios e procedimentos distintos para a obtenção das licenças”.

Segundo a Promotoria, a reclamação foi encaminhada ao Ministério Público do Paraná por moradores de três condomínios, no bairro Água Verde, em abril deste ano, após a instalação da estação em um lote na Avenida Silva Jardim. Os moradores alegam que pediram informações à Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMMA) sobre a licença para instalação do equipamento, que não havia sido concedida.

“A SMMA informou, através de Parecer Técnico 4699/2012, que não havia registro de concessão de licença de operação para a ERB às operadoras acima citadas. Informaram, ainda, que não havia em seus registros a análise de Estudo de Impacto de Vizinhança, a Licença de Instalação e a Autorização de Funcionamento”, diz trecho da ação.

O promotor requer à Justiça que as operadoras sejam condenadas a retirar toda a estrutura da estação rádio-base, além de pedir o pagamento de danos morais ambientais, em valor a ser arbitrado pelo Juízo.(Da redação, com assessoria de imprensa)

Anterior IDC eleva projeção de venda de tablets para 117,1 milhões em 2012
Próximos Furukawa lança cabo óptico 'totalmente seco’ fabricado no Brasil