TIM Brasil investirá R$ 3 bilhões em 2011


A TIM Brasil vai manter em 2011 o mesmo volume de investimentos deste ano, R$ 3 bilhões, e espera como retorno acelerar o desenvolvimento de dados e aumentar o MOU (minutos por uso) de seus usuários. “O MOU brasileiro ainda é baixo e o percentual de receita de dados inferior ao percentual do mercado”, afirmou Luca Luciani, presidente da TIM Brasil, em encontro realizado hoje com jornalistas para apresentar um balanço da empresa e anunciar as metas para 2011. Segundo ele, o planejamento da operadora prevê aumentar o MOU, atualmente em 106 minutos, para 250 minutos em três anos. Para isso vai expandir a rede 2G, que hoje cobre 3.203 municípios.

A operadora conta também com o aumento da penetração na telefonia móvel – estima que será de 130% em 2013 e trabalha com o projeto de colocar sua rede 3G em 1,200 cidades brasileiras em três anos – hoje cobre 309 municípios com 3G. Luciani destacou que as metas traçadas para 2010 foram atendidas e que a empresa encerra o ano com 61,2 mil antenas instaladas; mais de 50 milhões de clientes, e liderança consolidada no Sul do país. “Também recuperamos a liderança no Nordeste e o segundo lugar em São Paulo (havia perdido a posição para a Claro), e tivemos conquistas na área de gestão ambiental”, enfatizou Luciani, lembrando que a TIM foi incluída no Índice de Carbono Eficiente (ICO2) da Bovespa e que a sustentabilidade passa a ser um item importante na avaliação das empresas no mercado financeiro.

A TIM Brasil encerra 2010 ocupando o segundo lugar em valor de mercado no país (R$ 6,5 bilhões) e a quarta colocação no mundo. “O Brasil é estratégico para o grupo, vamos continuar investindo e vamos crescer de forma orgânica”, comentou Luciani.

PUBLICIDADE

Intelig

A integração das redes da TIM e da Intelig foi concluída e para 2011 o Capex de R$ 3 bilhões contempla a expansão do backbone da Intelig e das redes metropolitanas. Segundo Antonino Ruggiero, presidente da Intelig, a operadora fixa manterá seu foco no mercado corporativo e na vertical governo. O planejamento da Intelig prevê crescimento de 40% na receita em 2011.

Luciani fez questão de citar os contratos mais recentes da Intelig na área de governo, destacando o contrato de cinco anos com o governo do Rio de Janeiro, de R$ 100 milhões anuais. “Vamos fazer rede para as Olimpíadas”, informou, acrescentando que a empresa fornece serviços também para o governo do estado de São Paulo. Outro investimento relacionado aos grandes eventos esportivos no país é a construção de um backbone entre Brasília e Belém. Neste caso, a construção da infovia será compartilhada por todas as operadoras, fixas e móveis, segundo Luciani.

Anterior TIM paga R$ 4 milhões em multas para participar de leilão
Próximos Jucá apresenta ofício para levar PLC 116 direto ao plenário do Senado