A Telecom Italia anunciou ontem que vai vender 22,7% de sua participação na Telecom Argentina ao fundo de investimentos norte-americano Fintech. Embora o valor do negócio não tenha sido anunciado, na bolsa de valores esta sua participação valeria por votal de 1,4 bilhão de dólares. A expectativa é de que consiga vender por 1 bilhão de euros.

 

O conselho de administração decidiu também vender todas as torres de sua propriedade, tanto as que estão instaladas no Brasil, como as da Itália. É um total de 17 mil torres. Vai vender também toda as suas operações de mídia, entre elas salas de cinema que mantém na Itália.

Brasil

 

Além do depoimento do presidente da empresa, Marco Patuano, que ontem reafirmou que a TIM Brasil é um “ativo estratégico” para a italiana, foram anunciados os planos de investimentos da operadora brasileira para o próximo triênio, de 2014 a 2016, quando serão investidos aqui R$ 11 bilhões. Esta previsão, ressalta a empresa, não inclui o valor da compra da frequência de 700 MHz.

 

Prevê crescimento de 40% no Serviço de Valor Adicionado; 75% de penetração de smartphone; 50% dos usuários de comunicação de dados e aumento dos minutos de uso em voz (MOU dos atuais 150 para 170 minutos mês. Irá ainda fibra mais 100 cidades até o final de 2016 (hooje está levando fibra até as antenas em 38 cidades). Para 2016, a TIM prevê que a comunicação de dados na telefonia celular já fature mais do que na telefonia fixa.

 

CVM

Em comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a TIM Participações negou hoje que já tenha um acordo de venda de torres de telefonia celular. No entanto, a empresa confirma que realiza “análises e estudos, que incluem a venda de participação, parcerias e quaisquer outras opções que possam criar mais valor para o ativo e ao mesmo tempo melhorar a eficiência industrial da companhia”. (Da redação)