TIM ainda espera aval da prefeitura de São Paulo para instalar biosites


Proposta da companhia foi entregue em outubro de 2017, prevendo instalação de 300 torres na capital e câmeras de vigilância em 2018. Mas apenas duas foram implantadas, em dezembro.

antena-ondas-sinal-conexao-espectro Powerful digital transmitter for TV, mobile and multimedia broadcast sends information signals from high tower

No final de 2017 a TIM instalou dois biosites em praças da cidade de São Paulo. A iniciativa era para ser uma demonstração da tecnologia – uma torre com antenas de telecomunicações e capaz de receber câmeras ou outros sensores, sem gerar poluição visual, uma vez que imita uma árvore ou mobiliário urbano. Era para ser também o prenúncio do que a operadora queria fazer em 2018: instalar 300 dessas torres na cidade, e outras 200 nos anos seguintes.

Mas o projeto segue parado, à espera do aval da prefeitura. Estão em funcionamento, por enquanto, os dois únicos biosites instalados em 2017, um na praça Cidade de Milão e outro na Ramos de Azevedo.

O projeto completo previa não apenas o aumento da cobertura da companhia, como também a doação de câmeras de vigilância para o programa City Cameras, da prefeitura, de videomonitoramento em toda a capital. A TIM entregaria a conectividade dessas câmeras e o streaming para a central de segurança da cidade.

Tanto a doação, quanto a criação do City Cameras, deu-se na gestão de João Dória (PSDB), agora candidato a governador.

A TIM não comenta a demora da cidade em aprovar a instalação das torres, que poderia ser acelerada com a aprovação da Lei das Antenas do município. Este PL chegou a ser aprovado pela Câmara dos Vereadores em 2014, ainda na gestão de Fernando Haddad (PT), mas empacou no segundo turno de votações. Ao assumir, em 2017, Dória prometeu rever a legislação. Um substitutivo encontra-se no gabinete do vereador Paulo Frange (PTB), que ainda não o apresentou. Quando o fizer, bastará uma votação. Caso aprovado, o texto irá para sanção do atual prefeito Bruno Covas.

Anterior Claro venderá acesso aos apps Band Sports e Fox+ este mês
Próximos Telefônica Vivo espera dobrar receitas de big data até 2020

1 Comment

  1. Rogério Pires
    15 de Maio de 2018

    Fui testemunha ocular da demora em se liberar uma “antena” de celular da própria TIM a alguns anos. A torre foi construída a 02 quarteirões do meu condomínio; ficou pronta em 03 dias. Logo fiquei animado, pois o sinal da TIM na minha região não era dos melhores. Só que entre construir a torre, instalar as antenas e o efetivo funcionamento do sinal (3G / 4G) foi de aproximadamente 18 a 20 meses!!! Quase 02 anos.. a burocracia é gigantesca!