TIM acaba com ofertas de internet ilimitada


[Atualizado com informação dos estados a receber a mudança]

A TIM anunciou ontem que seguirá o movimento iniciado pela Vivo, e seguido por Oi e Claro, de corte do acesso à internet após término da franquia de dados. A partir de 15 de janeiro, a operadora vai suspender a navegação dos usuários das ofertas diárias Infinity Web 10, Infinity Web 30, Infinity Web 100, Infinity Web 10 + Torpedo, Infinity Web 30+ Torpedo que atingirem o limite contratado.

Atualmente, os clientes navegam com velocidade reduzida ao esgotar os dados. Estas ofertas são opcionais dos planos planos Infinity Pré, Infinity Controle, Liberty Controle e Liberty Controle Express. Para continuar navegando, os clientes deverão acessar o Portal TIM através do link que será enviado automaticamente via SMS assim que a conexão for interrompida. Ali, terão a opção de contratar um pacote adicional de internet para navegar até o final do dia ou de migrar para outra oferta de internet com franquia superior.

Mesmo que haja interrupção do serviço de dados e o cliente opte por não contratar o pacote adicional, alguns serviços dependentes de internet, como os aplicativos Blah, Meu TIM e o Recarga Express, continuarão a funcionar. A velocidade de referência das ofertas permanece em até 1Mbps na rede 3G e 5Mbps na rede 4G.

O corte após fim da franquia não acontecerá, porém, em todo o Brasil, explica a TIM. Inicialmente, apenas clientes ds estados de Pernambuco, Rio Grande do Sul e da área de DDD 19, no interior de São Paulo serão incluídos na medida. Segundo a empresa, “o modelo de redução de velocidade após o consumo dos pacotes contratados pode criar uma percepção negativa do serviço”.

A operadora está comunicando com antecedência, via SMS, a mudança a todos os clientes impactados e atualizando os regulamentos das ofertas em seu site. A operadora segue avaliando mudanças no modelo do consumo de dados móveis nas demais regiões e planos. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Telecom Italia terá que devolver dinheiro a competidores
Próximos Indústria deve vender 168 milhões de dispositivos vestíveis em 2019