TIC vai investir R$ 750 bi no período de 2019 a 2022


As perspectivas do setor de TIC, para o período de 2019 a 2022, apontam investimentos de  R$ 742,3 bilhões, segundo dados divulgados pela Brasscom (Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação).  Quase cada metade dos valores são em tecnologia da transformação digital (R$ 345,5 bilhões), e em  telecomunicações ( R$ 396,8 bilhões).

Esses são dados parciais de análises da IDC e da Frost & Sullivan, cuja pesquisa completa tem divulgação prevista para esta semana. Os dados já consolidados apontam que a banda larga avançará  5,7% ao ano até 2022. Em tecnologia de transformação digital, os investimentos apresentam taxa de crescimento de  19,3% ao ano.

PUBLICIDADE

“Nosso setor tem o desafio de dobrar o PIB de software em seis anos”, destacou o presidente da Brasscom, Sergio Gallindo. “Esses investimentos indicam o otimismo para o setor continuar crescendo em taxa acelerada. Não vai acontecer tudo isso este ano, mas esperamos  dobrar o setor de software e serviços, que é intensivo em mão de obra”.

Segundo o presidente da associação, este ano,  projeção indica crescimento entre 8% e 9%, bem superior aos 2.5% registrados em 2018.

Esse levantamento não  em conta os cenários e efeitos para as TICs que serão provocados pela decisão tomada na quinta-feira passada, 26, pelo STF ( Supremo Tribunal Federal ). A Corte decidiu permitir o creditamento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) na entrada de matérias primas e insumos isentos provenientes da Zona Franca de Manaus. A Brasscom informou que ainda avalia a repercussão do entendimento firmado pelo STF.

Em 2018, o segmento de software e serviços cresceu 4,2%, passando para R$ 197,4 bilhões. Já área de telecomunicações teve alta de 1,3%, subindo para R$ 237,9 bilhões.  Também registrou ampliação de TI in house na ordem 1,5%, subindo para R$ 43,8 bilhões.

“Continuamos sendo a 7ª economia do mundo em TICs. Mas ainda estamos longe da França e sendo alcançados pela Índia. Precisamos de crescimento mais forte para nos mantermos nesse patamar”, apontou  o executivo.

Nuvem e IoT

Segundo a pesquisa, um dos grandes destaques é o avanço dos serviços relacionados à computação em nuvem, com investimentos projetados de R$ 77,8 bilhões e crescimento de 26% ao ano. “A estrela do setor hoje é o avanço das ofertas de nuvem, tanto de infraestrutura quanto licenciamento de software. O crescimento de 55,4% em 2018 nos leva a crer que a jornada de transformação de nuvem só está iniciando”, comentou Gallindo.

Ainda assim, o IoT (Internet das Coisas, em inglês) aparece com a previsão de investimentos mais robustos, com a estimativa de R$ 155,2 bilhões. Em terceiro lugar aparece Big Data & Analytics, com R$ 61,1 bilhões e crescimento anual de 10%. Depois vem Robótica, com R$ 23 bilhões e taxa anual de 17%;  Segurança da Informação, com R$ 8,9 bilhões e taxa de 15%; Inteligência Artificial, com R$ 2,5 bilhões e taxa de 29%.

Para ler os dados gerais da pesquisa, clique aqui

Anterior STF mantém suspensa a liminar que bloqueava acordo entre Telebras e Viasat
Próximos Receita da Claro cresce 1,5% no primeiro trimestre de 2019