TI movimenta R$ 39,4 bilhões no país


Duas mil empresas que trabalham na área de Tecnologia da Informação movimentaram R$39,4 bilhões no país em 2009, conforme relatório divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Do montante total, cerca de R$ 13 bilhões corresponderam  à  produção nacional de programas para computadores. “Isso demonstra que o Brasil está desenvolvendo software a um ritmo bastante intenso”, diz o pesquisador Roberto Saldanha, um dos responsáveis pelo relatório. De acordo com Saldanha, o relatório não analisou a venda de hardware, que teria movimentado cerca de R$ 55 bilhões no país. 

Dentre essa receita, 43,0% (R$ 16,9 bilhões) se concentraram em três produtos e serviços, de acordo com o IBGE: desenvolvimento e licenciamento de uso de software customizável (R$ 5,9 bilhões, ou 14,9% do total), consultoria em sistemas e processos em TI (R$ 5,6 bilhões, ou 14,1% do total) e software sob encomenda para projeto e desenvolvimento integral ou parcial (R$ 5,5 bilhões, ou 14,0%).

A produção nacional de software totalizou R$ 13,0 bilhões, 33,1% da receita de serviços de TI em 2009. Das empresas pesquisadas pelo IBGE, 11,1% tinham receita superior a R$ 30 milhões e foram responsáveis pela geração de 75,6% da receita total. Em relação à diversificação, as empresas com um produto, que somavam 46,4% do número de empresas, foram responsáveis por 28,0% da receita bruta de serviços, enquanto que as com 2 a 4 produtos (42,7% do total) predominaram no segmento, com 45,5% da receita.

A exportação dos serviços contabilizou uma receita de R$ 2,1 bilhões, correspondente a 5,4% do total da receita bruta e subvenções das empresas de TI pesquisadas. Dos R$ 39,4 bilhões de receita bruta de serviços e subvenções das empresas de tecnologia da informação com 20 ou mais pessoas ocupadas, R$ 16,9 bilhões (43,0%) se concentraram em três produtos/serviços: desenvolvimento e licenciamento de uso de software customizável (personalizável) no país (R$ 5,9 bilhões, ou 14,9% do total), consultoria em sistemas e processos em TI (R$ 5,6 bilhões, ou 14,1% do total) e software sob encomenda para projeto e desenvolvimento integral ou parcial (R$ 5,5 bilhões, ou 14,0%).

Ainda de acordo com o relatório, as exportações de serviços de TI contabilizaram, em 2009, uma receita de R$ 2,1 bilhões (US$ 1,1 bilhão), valor baixo se comparado a países como a  a da Índia (maior exportador mundial, com US$ 50 bilhões), Alemanha (US$ 17,9 bilhões), EUA (US$ 13,4 bilhões), Reino Unido (USS 13,0 bilhões), Israel (US$ 6,8 bilhões) e  China (US$ 6,2 bilhões). As exportações brasileiras ficaram próximas das do Japão (US$ 1,0 bilhão). Os dados internacionais são da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), do Fundo Monetário Internacional (FMI) e da Germany Trade & Investment.

As empresas de desenvolvimento de programas customizáveis foram as mais representativas em relação à receita total de exportação (55,8%). As empresas de desenvolvimento de programas não customizáveis ficaram com 19,0%. Os Estados Unidos apareceram como o principal destino para os produtos de TI, com geração de R$ 1,5 bilhão, correspondendo a 72,7% do total da receita de exportação. O México foi o segundo destino, com 3,8% da receita, e as exportações para o Mercosul ficaram em terceiro lugar, com 3,1%. O setor de serviços foi responsável pela geração de 51,8% das receitas brutas do setor de TI, com destaque para as atividades de finanças (18,3%) e de telecomunicações (10%). (Da Redação, com assessoria de imprensa)

Anterior Correios assinam contrato com BT Brasil para implantar rede de telecom
Próximos Google tem crescimento de 27% no primeiro trimestre de 2011