Tesacom fará transmissão de dados nas eleições


Contratada por licitação pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para fazer a transmissão de dados nas eleições municipais, a Tesacom, especializada em soluções de satélite e canal da Inmarsat para a venda do serviço BGAN (Broadband Global Area Network) no Brasil, forneceu cerca de 1.200 equipamentos para serem utilizados na votação do próximo domingo. O objetivo …

Contratada por licitação pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para fazer a transmissão de dados nas eleições municipais, a Tesacom, especializada em soluções de satélite e canal da Inmarsat para a venda do serviço BGAN (Broadband Global Area Network) no Brasil, forneceu cerca de 1.200 equipamentos para serem utilizados na votação do próximo domingo. O objetivo do projeto é agilizar a apuração dos votos em áreas não atendidas pela infra-estrutura convencional de telecomunicações ou localidades de difícil acesso.

De acordo com a empresa, o BGAN funciona como uma antena. Assim, basta posicioná-lo na direção do satélite para iniciar a transmissão de dados. O serviço é oferecido via constelação I-4, satélites de comunicações comerciais lançados pela Inmarsat. Com o terminal BGAN, as informações podem trafegar com velocidade de até 492 Kbps e 256 Kbps em streaming dedicado.

“Finalizada a votação, o presidente da mesa retira o disquete da urna eletrônica e transmite os dados via satélite pelo equipamento”,  explica Dante Quinterno, presidente da Tesacom do Brasil. Segundo ele, a tecnologia utilizada nas eleições brasileiras é única no mundo.

A Tesacom venceu o pregão presencial, realizado em agosto pelo TSE, com a oferta de R$ 3,150 milhões. A disputa final foi com o consórcio formado pela Via Telecom e GlobalStar. (Da Redação, com informações da assessoria de imprensa da Tesacom)

Anterior Telefónica quer novo modelo regulatório na Europa
Próximos Telefônica cria concurso para usuários de cartão